quinta-feira, 31 de julho de 2008

Vai começar a 2ª divisão do Candangão 2008

Começa neste sábado (02/08/08) a 12ª edição do Campeonato Brasiliense de Futebol da 2ª divisão.

Oito times irão participar da disputa por 2 vagas que dão acesso a série principal do campeonato local de 2009. Veja a lista de participantes:

Brasília
Ceilandense
Cruzeiro
Guará
Luziânia
Paranoá
Samambaia
Santa Maria


A Ceilandense já tem um jogo difícil logo na estréia:

Ceilandense x Samambaia - dia 02/08/08 - as 10h00 - Abadião.


Boa Sorte, Ceilandense!

Fonte: Federação Brasiliense de Futebol

A agonia continua...

O Ceilândia não disputará o campeonato metropolitano de futebol das categorias infantil e juvenil. A desculpa está na falta de dinheiro. Essa é a mesma desculpa apresentada para não disputar a série C do Brasileiro e também teria sido a razão para não disputar o campeonato de juniores - a vaga foi cedida ao Planalto que vestiu a camisa do CEC. O Ceilândia, diversas vezes campeão do DF nas categorias infantil e juvenil, parece agonizar.

Pouco se sabe sobre o que realmente está acontecendo. O que se vê são os movimentos do incansável Almir de Almeida e poucas notícias da direção do clube. Pode parecer irônico, mas dez anos após renascer, o Ceilândia repete os dias de incerteza nas mãos de quem o ressuscitou.


Fonte: Ceilândia Esporte Clube

Opinião: desabafo ceilandense

Sou ceilandense desde 1978. Embora eu esteja temporariamente distante, meu domicílio é em Ceilândia e visito com bastante freqüência a cidade onde cresci. Passei nela estas duas últimas semanas (voltei hoje - 30/07/08 - para Buenos Aires).

Não acho melhor que a pessoa que juntou todas as economias que tinha e comprou ilegalmente um lote perca o que investiu e vá invadir terras para ganhar outro lote do governo. Acho que ela deve apenas perder o que investiu. E se invadir terras para forçar o governo a lhe dar moradia, deve ser posta novamente para correr.

Quem compra lote ilegal é tão desonesto quanto quem vende. É o mesmo que comprar mercadoria roubada.

Minha família (mãe e cinco filhos) viveu durante mais de 15 anos pagando aluguel. Embora inscritos, nunca recebemos moradia do governo (conheço várias famílias menores que a minha e com menos tempo de inscrição que foram contempladas). Mesmo nos momentos mais difíceis, nunca passou pela nossa cabeça resolver nosso problema de moradia invadindo terra pública ou comprando lote sem escritura. Hoje temos moradia, comprada legalmente, com o fruto do nosso trabalho.

Em uma cidade como a nossa, um beco que vire praça, com um parque infantil, por exemplo, não serve somente a uma família, serve a muitas. E não me venham com essa história de que havia pessoas usando os becos para se drogar, cometer crimes etc. etc. Ceilândia não é uma cidade de criminosos nem de drogados. Se havia alguém fazendo isso, que fosse punido de acordo com a lei.

Por razões profissionais, tenho viajado por outros países. Mesmo naqueles mais pobres que o Brasil vi cidades bonitas, limpas, organizadas, seguras, acolhedoras e civilizadas. E nenhuma delas se tornou tudo isso com demagogia barata. A pobreza não pode ser usada como desculpa para a esculhambação e o desrespeito às leis.

Um dia, quando a ignorância e a falta de instrução não forem tão grandes entre nosso povo, as pessoas entenderão que populismo não leva a lugar algum.

Vejo com esperança que o atual governador está tentando sepultar a demagogia que imperou por tanto tempo do DF. Espero que ele não esmoreça, embora, no caso dos becos, já existam sinais nesse sentido.


Fonte: Ceilândia.com

Família que roubava

A família tinha acabado roubar produtos em mais um mercado de Taguatinga quando foi presa. As imagens iniciais do vídeo, feitas pela polícia, mostram Maria de Fátima Oliveira e as irmãs em ação. Pouco antes de o grupo ser surpreendido por agentes da Delegacia de Repressão ao Furto.

As mulheres saem do mercado com os produtos debaixo das roupas e escondidos na manta do bebê. Enquanto isso, Edinaldo e o filho esperam no carro. Com eles a polícia apreendeu R$ 4 mil em mercadorias roubadas.

Calcula-se que de janeiro pra cá, os roubos somam R$ 700 mil. Todos os integrantes têm passagem pela polícia. Edinaldo e o filho, por exemplo, já foram indiciados por tentativa de homicídio.

Desde o início do ano a polícia investiga a família. Os produtos roubados pelo grupo eram vendidos na Feira do Rolo, em Ceilândia. Além disso, outras pessoas, que não faziam parte da família, revendiam as mercadorias.

“É uma quadrilha familiar, conforme eu informei. É o pai, a mãe, o filho maior de idade e três tias. Eles atuam de forma organizada, fazem uso de dois veículos e se deslocam por várias cidades-satélites. A prioridade é de atuar em pequenos comércios e farmácias que não têm vigilância eletrônica”, afirma o delegado Leandro Ritt.

Eles vão responder por furto e formação de quadrilha.



Veja também o vídeo:
ClicaTv

Fonte: Rede Globo

Crise financeira nos conselhos

Um exemplo da falta de investimentos é o próprio conselho tutelar, responsável por encaminhar crianças em situação de risco para programas sociais e tratamentos e fiscalizar a aplicação das medidas de proteção. De acordo com o Centro de Defesa da Criança e do Adolescente, no ano passado os dez conselhos do Distrito Federal receberam R$ 11,2 mil. Este ano foram R$ 5 mil até agora, ou seja, menos de 2% do previsto no orçamento.

O Conselho Tutelar de Ceilândia funciona numa sala emprestada de um centro cultural. Não há divisórias para dar privacidade aos atendimentos, nem fax. Para enviar informações sigilosas ou pedir uma investigação à Delegacia da Criança e do Adolescente é preciso ir até o Plano Piloto. A falta de carros impede o acompanhamento da criança junto à família e no programa em que ela foi incluída.

“Nós trabalhamos nos casos de emergência, casos de maus-tratos, de violência, e da proteção integral. Nos casos que envolvem educação, segurança e acompanhamento nós não conseguimos trabalhar”, confessa a presidente do Conselho Tutelar de Ceilândia, Selam Aparecida da Costa.

A Secretaria de Justiça e Cidadania informou que houve atraso na liberação da verba dos conselhos tutelares no primeiro semestre. Mesmo assim, disse que a situação será regularizada a partir de agosto.


Fonte: Rede Globo

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Caminho complicado

Quem depende do transporte público está reclamando. A proposta do Governo do Distrito Federal para a melhoria do sistema seria a retirada das vans para a entrada dos microônibus - não foi cumprida!

Os novos microônibus estão fazendo as linhas que antes eram feitas pelos ônibus convencionais - as chamadas linhas circulares (que rodam apenas em Ceilândia) - mas o resultado que se vê não está sendo muito positivo. Os microônibus estão superlotados, principalmente no horário de pico (muitos usuários reclamam da demora para a passagem dos veículos). Um ônibus convencional já fazia o trajeto bastante lotado; imagine agora em um veículo de tamanho inferior...

Já os "novos" ônibus entraram nas linhas das vans; pelo menos deveriam fazê-las, né?!. Quem pega um ônibus no Setor O com destino a Águas Claras tem que percorrer um caminho maior do que as vans faziam. No trajeto das vans o veículo passava pela Avenida Ulysses Guimarães (Elmo Serejo) e seguia destino Águas Claras. Hoje, com as empresas de ônibus no comando, a rota acaba passando pela Sandu Norte, em Taguatinga, para depois seguir o caminho que os usuário estão acostumados. Daí dá pra ver a quantidade de reclamações que os passageiros acabam fazendo no coletivo.

O GDF devia ter planejado melhor a entrada dos microônibus e das novas linhas para os ônibus. Se não fizer uma correção a curto prazo, a população poderá sofrer com um número maior de carros circulando pela cidade, congestionamentos, acidentes e muito mais.

Neste caso, o "Brasília Integrada" acabaria servindo de nada.

Administrador pode sair

Nos próximos dias, uma mudança no comando da Administração Regional de Ceilândia. Adauri da Silva Gomes não tem agradado muito à população, levando para baixo os índices de aprovação do governo.

Mas para trocar o administrador da maior cidade do DF, a definição ainda depende de amplas negociações e de um nome que supra as necessidades da população.



Segundo o Jornal de Brasília, o provável administrador deve ser indicado pelo deputado distrital Benício Tavares.

Fonte: Jornal Coletivo e Jornal de Brasília de 30/07/08

Ginásio não será demolido

Ceilândia desistiu de demolir uma construção inacabada e abandonada de um ginásio, na QNN 13, e com o apoio de quatro entidades da cidade vai transformá-la em um espaço alternativo para atividades culturais.

De acordo com o administrador Adauri da Silva Gomes, o ginásio iria integrar o Centro Cultural da cidade. A construção estava sendo executada com recursos da Caixa Econômica Federal (CEF) mas, há quatro anos, a construtora abandonou as obras e o local virou motivo de preocupações para a comunidade. “Ele se transformou em ponto de encontro de marginais e usuários de droga”, reconhece Adauri.


Fonte: Portal do Distrito Federal, Sou de Ceilândia e ACIC-DF

Novo Secretário de Segurança



No jogo de xadrez do GDF, a peça em movimentação no momento diz respeito à Secretaria de Segurança Pública (SSP). O nome indicado pelo governador José Roberto Arruda para assumir a SSP, no lugar do general Cândido Vargas, exonerado ontem, é o do delegado da Polícia Federal, Valmir Lemos de Oliveira.

Com a mudança, Arruda pretende uma renovação na área, acabando com certa tradição no DF, onde um oficial superior do Exército costuma ocupar o cargo. O general Cândido Vargas saiu pressionado pelos crescentes indicadores de criminalidade e por não ter dado à segurança a operacionalidade que Arruda sempre pediu. “O general nos ajudou a reorganizar a polícia no DF. Somos todos bastante gratos pelo trabalho que ele executou. Mas precisamos operacionalizar melhor a ação policial nas ruas da cidade. Não tenho intenção de politizar a segurança pública. Por isso, nomeamos alguém que conhece o setor com profundidade”, disse Arruda.

Ex-agente da Polícia Civil do DF e desde o início de 2000 na função de delegado da PF (Divisão de Inteligência), Valmir Lemos tem 43 anos, foi um dos responsáveis pela segurança do Pan no Rio de Janeiro e assume o posto com a missão de melhorar o desempenho das polícias Civil e Militar. “Essa é uma mudança operacional. Acompanhei com certa preocupação o crescimento dos índices de violência. Por isso, precisamos de mais agentes policiais nas ruas, ao mesmo tempo em que a polícia do DF, responsável pela capital do País, deve estar mais integrada às forças de segurança do governo federal. O delegado Valmir Lemos é muito ligado ao Ministério da Justiça e pode nos ajudar nessa tarefa”, concluiu Arruda.


Fonte: Jornal Coletivo e Blog Correio Braziliense

Polícia lança campanha

A Polícia Militar lançou uma campanha para tentar diminuir a violência nas escolas.

Lançado no Centro de Ensino Fundamental 04 de Ceilândia Sul, o programa aposta em uma cartilha que explica como evitar assaltos, brigas e de como se portar quando estiver em situações complicadas nas proximidades das escolas.

O CEF 04 tem feito programas para unificar a escola com a comunidade; entre alguns estão os encontros com pais e, para setembro, será realizado um encontro com os alunos.

Veja o vídeo:

CorreioWeb/Tv Brasília

Fonte: Jornal Local de 29/07/08

Gabarito liberado

A Universidade de Brasília (UnB) divulgou o gabarito preliminar das provas do primeiro vestibular de 2008 para os novos campus da UnB, em Ceilândia e no Gama, e dos novos cursos de Planaltina.

Os vestibulandos interessados em contestar as respostas devem entrar com recurso nesta quarta (30/07) e quinta-feira (31/07), pelo site do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (www.cespe.unb.br).

A lista dos aprovados em primeira chamada tem previsão para ser divulgada no dia 18 de agosto, na página do Cespe e no Teatro de Arena da UnB, e os aprovados deverão se registrar na universidade nos dias 21 e 22.

Os candidatos disputam 560 vagas – 112 reservadas ao Sistema de Cotas – para oito cursos. O mais concorrido é o de Fisioterapia, com 14,58 candidatos por vaga no Sistema Universal e 12,22 no de cotas.


Fonte: Correio Braziliense

Mulheres reclamam de hospital

As mulheres que tiveram bebês recém-nascidos no Hospital Regional de Ceilândia - HRC - estão reclamando muito. A sala de espera pós parto é um cubículo que não cabe quase nada. Muitas camas estão espalhadas pelo local com colchões que são bastante finos.

Alguns mulheres dizem que até para pegar água para beber é difícil. Nota-se também que o banheiro não possui portas. Todas reclamam da qualidade da alimentação no local.

Segundo o responsável do hospital, uma reforma e ampliação estão em planejamento.

Fonte: Rede Record de 29/07/08

terça-feira, 29 de julho de 2008

Becos poderão ser licitados



Depois de causar polêmica entre moradores da cidade, becos de Ceilândia voltam a gerar discussão. Dessa vez, a polêmica é entre as famílias que compraram os lotes destinados aos policiais militares. Elas correm o risco de perder suas moradias. Os lotes foram doados pelo Governo do Distrito Federal há cerca de 10 anos para atender um projeto social de habitação dos policias militares e bombeiros do DF. Contudo, muitos foram vendidos para terceiros.

Neste mês, 26 desses terrenos, sendo 24 em Ceilândia e dois em Samambaia, foram colocados à venda pela a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap). A notícia gerou desconforto entre as pessoas que compraram os lotes, levando-os a formar uma comissão para impedir que os terrenos sejam licitados.

Segundo informou o presidente da Associação dos Inquilinos de Ceilândia, Ipaminona Rodrigues da Silva, as pessoas que compraram os lotes dos PMs investiram no negócio porque não tinham uma moradia e, na época, os policiais venderam os imóveis por um preço abaixo do valor de mercado. Os atuais proprietários esperam que o governo chegue a um acordo que beneficie à todos.

Segundo Ipaminona, num levantamento feito pela associação, aproximadamente 250 famílias, somente em Ceilândia, podem ficar sem suas casas. Mas, de acordo com ele, esse número pode aumentar significativamente, pois nem todos que estão nessa situação sabem da venda. Outra reclamação dos moradores é que eles não foram avisados previamente da vendas das unidades pela Terracap. "Entendemos que não pode simplesmente vender sem nos avisar. A decisão tem que agradar a todos. No último caso é vender apara quem já está ocupando, sem que as pessoas tenham prejuízos", explica Ipaminona.

Por outro lado, a Terracap ainda não tem um levantamento de quantos terrenos foram repassados para terceiros. Mas a cidade de Ceilândia pode ter um número maior de pessoas nessa situação, pois foi lá que o programa de habitação destinou o maior número de becos para moradia de Militares.

Na época em que os lotes foram doados uma das condições foi que eles não poderiam ser revendidos e nem doados para terceiros. Caso contrário, a terra voltaria automaticamente para a Terracap.




Num encontro realizado ontem entre a Terracap e representantes dos ocupantes dos becos em Ceilândia, o órgão decidiu retirar os lotes do edital de licitação, que estava previsto para acontecer no próximo dia 31 deste mês. Mas, segundo a assessoria do órgão, ainda não existe uma decisão sobre o destino dos terrenos, e em quais condições serão vendidas. A Terracap informou que apenas os lotes vendidos para terceiros serão retomados pela Companhia.



Memória

Na época da transformação dos becos em lotes residenciais, os moradores da cidade ficaram divididos. Em Ceilândia, muitos Policiais Militares e Bombeiros chegaram a invadir os terrenos vazios para garantir seu imóvel. Hoje, quase 10 anos depois, boa parte casas construídas estão nas mãos de terceiros.




Pelo visto, nada acontecerá com os militares que venderam os lotes...

Fonte: Tribuna do Brasil

Receita de sucesso

Na revista Veja desta semana há uma interessante entrevista com Cory Booker, prefeito da cidade americana de Newark, onde moram cerca de 30.000 brasileiros. O prefeito Brooker ganhou evidência após conseguir, entre outras coisas, reduzir drasticamente a taxa de crimes violentos na cidade. Na entrevista, ele destaca a importância da participação da comunidade na resolução dos problemas locais. Leia a seguir dois momentos da entrevista:

“Quando o senhor assumiu a prefeitura, Newark era a cidade mais violenta do país. Como reverteu esse quadro?

O primeiro desafio é despertar a comunidade para seu potencial. Por muito tempo, os moradores de Newark toleraram crimes demais, toleraram um governo que não lhes prestava serviço. Os habitantes da cidade não exigiam do governo, nem de si mesmos ou de seus vizinhos. O primeiro desafio, então, é despertar as pessoas para o sucesso possível, sepultar o cinismo, o ceticismo. Viver numa comunidade não é como assistir a um jogo de futebol, em que nos sentamos e esperamos as coisas acontecerem no campo.


O senhor tem algum exemplo de participação direta da comunidade que esteja fazendo diferença?

Hoje mesmo tivemos um belo exemplo. Há um ano, começamos a dizer que era preciso transformar os espaços verdes de Newark para valorizar nossas crianças. A cidade estava cinza, feia, as quadras de esportes estavam quebradas. Mas a prefeitura não tinha dinheiro. Então, reunimos empresários, vizinhos, filantropos, e conseguimos criar um fundo de 40 milhões de dólares. Hoje, lançamos a campanha de renovação dos parques. Até o fim do ano, alguns já estarão reformados. Isso é animador.“



O que mais chama a atenção na estratégia de Cory Brooker é a participação de empresários e moradores na reforma de áreas degradadas da cidade. Mais ou menos o que defendemos aqui alguns dias atrás quando tratamos do estado lamentável em que se encontram algumas entrequadras de Ceilândia. Elas poderiam ser, a baixo custo, uma combinação de parque, centro esportivo, shopping center. Ainda mais agora que o inegável sucesso da Lei Seca provoca mudanças de comportamento e leva as pessoas a preferirem se divertir perto de casa.

É hora de dar mais atenção às entrequadras. Ela são um tesouro vêm sendo negligenciado por todos ao longo dos anos.

O que têm a dizer sobre isso os empresários da cidade?


Fonte: Ceilândia.com

Polêmica: Quem é o dono?

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabelece a eleição direta dos administradores regionais de cidades do Distrito Federal já enfrenta algumas dificuldades. A começar por um questionamento que vem sendo feito com base na Constituição Federal. A Carta Magna do País determina que o Distrito Federal não pode ser dividido em municípios. Além disso, há uma polêmica envolvendo a autoria do projeto. O líder comunitário José Nogueira dos Santos acusa o deputado federal Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) de ter se apossado da idéia da proposta, que seria uma idéia sua que ele teria comentado com o parlamentar.

A proposta prevê que os administradores regionais passarão a ser eleitos, assim como os deputados distritais, com mandato de quatro anos de vigência, podendo ser reeleitos uma única vez. Caso os atuais administradores queiram concorrer a outros cargos eletivos, deverão renunciar ao mandato com no mínimo seis meses de antecedência. Além disso, o salário dos administradores não poderá exceder os 75% do salário de deputado distrital e os candidatos deverão ter mais de 21 anos.

José Nogueira defende que a aprovação da PEC é importante para que a comunidade escolha os seus representantes. “Atualmente, as pessoas escolhidas para exercer o cargo de administrador não moram na cidade e conhecem pouco os problemas da comunidade. É necessário colocar alguém que realmente represente a cidade e não um administrador que está lá para defender o deputado ou outra pessoa.


O deputado Rodrigo Rollemberg (PSB), que está de férias em Fortaleza, disse que a idéia não é sua. “Esta idéia não é minha, não é do José Nogueira, é do povo de Brasília. Ela foi ouvida e debatida em vários pontos da cidade durante todos estes anos que estou na política. O projeto é meu, porque eu sou o parlamentar e tenho como uma das competências do cargo apresentar projetos para melhorar a qualidade de vida das pessoas”, disse Rollemberg.

Segundo o deputado, a proposta surge pela necessidade de aproximar o administrador da população. “Hoje se você perguntar em qualquer localidade do DF o nome do administrador ninguém vai te responder, pois não são pessoas que têm ligações com a comunidade. Eles estão ligados aos políticos e muitas vezes nem moram na cidade”, disse.

Segundo ele, a proposta não fere a organização institucional do Distrito Federal, pois não está se propondo criação ou transformação das regiões administrativas em municípios. “O que estamos propondo já está na Lei Orgânica, só que precisa ser feito por PEC”, afirma Patrício.


Fonte: Jornal Coletivo aqui e aqui

Irresponsabilidade e morte

Uma moto se chocou com um caminhão na manhã desta terça-feira (29), por volta das 11h15, no conjunto A da QNN 17, via Oeste, Ceilândia. O motociclista Ricardo Sousa da Silva, 26 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Regional da Ceilândia.

Ricardo dirigia uma moto Yamaha, de placa KEY-6351, quando bateu no caminhão conduzido por James Pereira do Nascimento, 21 anos, uma Mercedes, de placa JEK-0962, que teria entrado na contra-mão para fazer o retorno.

Morador de Cocalzinho, Goiás, Ricardo seguia para a distribuidora de gás de cozinha onde trabalha, em Brasília, quando o acidente aconteceu. James não tem habilitação para dirigir caminhões, ele possui apenas habilitações para conduzir moto e automóvel.


Fonte: Clica Brasília e Correio Braziliense

Cerol - pais podem responder

Cuidado com o cerol!

Os pais podem responder na justiça em caso de acidentes.


Veja o vídeo e mude de idéia em relação ao cerol:

CorreioWeb/Tv Brasília

Fonte: Jornal Local de 28/07/08

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Opinião: sem becos e sem casas

Relembro aqui trecho de artigo publicado neste site (Ceilândia.com) em 21/11/2007, a respeito da ocupação dos becos da cidade por residências: “Com o pretexto de que estariam sendo usados como depósitos de entulho, optou-se por entregá-los demagogicamente para a construção de casas, supostamente para policiais militares. O correto seria urbanizá-los e transformá-los em espaços de convivência para os moradores, como faria qualquer administrador público com um mínimo de discernimento. É quase certo que a maioria das casas construídas naqueles becos esteja hoje nas mãos de especuladores imobiliários”.

Pois não deu outra: os supostos beneficiários (policiais militares) passaram adiante os lotes e uma certa Comissão de Moradores de Becos da Cidade convocou os atuais ocupantes para uma reunião que aconteceu neste domingo, (27) na EQNO 09/11 (ao lado do ECON). Na reunião, foi discutida a reação à possibilidade de que os becos sejam licitados pelo GDF, como manda a lei.

Esta história da ocupação dos becos por residências foi um erro desde o início. E é importante destacar a participação de um ex-administrador da cidade, que gostava de se apresentar como suplente de senador mas que, na ocasião, atuou mais como suplente de corretor de imóveis e contribuiu para que a cidade perdesse definitivamente espaços públicos que hoje poderiam estar sendo usados em benefício de toda a população.

Em tempo: qual será a punição para os policiais militares que receberam os lotes de mão beijada e os venderam a terceiros?


Fonte: Ceilândia.com

domingo, 27 de julho de 2008

Suspensão de liminar

Os permissionários do Sistema de Transporte Público Alternativo (STPA) estão, novamente, proibidos de atuar nas ruas do Distrito Federal. A Procuradoria Geral do DF recorreu na noite de ontem, sábado (26/07), da liminar concedida na sexta-feira pela juíza do plantonista Érica de Oliveira Angoti, que autorizavam as vans de continuarem rodando. O pedido dos procuradores foi julgado procedente pela juíza titular da Justiça do Trabalho. Ela manteve a portaria nº 34/2008, da Secretaria de Transportes, que substitui as lotações por 350 microônibus.

A decisão judicial começa a valer a partir de hoje, mas segudo o secretário de Transportes Alberto Fraga, os fiscais farão neste domingo apenas um trabalho de orientação. "Eles vão parar as vans e entregar a notificação", explica.

Fraga alerta, no entanto, que a partir de amanhã todo o aparato de ficalização estará nas ruas e o veículo que for flagrado transportando passageiros será considerado pirata. Quem desrespeitar a determinação terá o veículo apreendido e pagará multa por pirataria.


Microônibus apedrejado

Um microônibus da linha Setor "O"/Recanto das Emas foi apedrejado, na manhã deste sábado (26/07), ao deixar o Terminal Rodoviário do Setor "O". Por volta das 7h30, uma pessoa não identificada lançou uma pedra que quebrou o vidro lateral direito do veículo, que custa R$ 249.

"Saí do terminal com o carro vazio. De repente, vi dois rapazes, um deles com uma blusa de cobrador das vans. Eles tacaram pedras. Uma acertou na lata e a outra no vidro. Depois disso fui perseguido por uma van. Eles ficaram fazendo gestos obscenos para a gente", disse Marcelo Hernandes de Oliveira, 28 anos, motorista da Cooperativa de Transporte Alternativo do Recanto das Emas (Cotarde). O condutor prestou queixa na 24ª DP (Setor "O").

O delegado de plantão, Ailton Rodrigues, informou que a delegacia vai investigar se o fato decorre de uma possível pressão feita pelos permissionários das vans. "Nossa intenção é identificar quem atirou a pedra", disse o delegado. O ato configura dano qualificado, com pena de três a seis anos de detenção, mais multa.



A animosida entre motoristas e cobradores dos dois sistemas não se restringiu a esse incidente. No terminal de ônibus de Samambaia Sul, usuários do transporte coletivo presenciaram até bate-boca entre operadores dos dois grupos. No vale-tudo pelo passageiro, ema algumas linhas permissionários alternativos abaixaram o preço da tarifa para igualar com o valor oferecido pelos microônibus, que vaira de R$1 a R$1,50. O preço normal das lotações é o mesmo do ônibus, R$2 e R$3.


Fonte: Correio Braziliense aqui e aqui, Rede Record de 26/07/08 e Jornal de Brasília

Abstenção e mudança de horário

No primeiro dia do vestibular da UnB para os novos câmpus de Ceilândia, Planaltina e Gama o número de abstenções chegou a 16,06%. Dos 4.318 inscritos para disputar as 560 vagas oferecidas pela Universidade de Brasília, 717 não compareceram aos locais do exame.


E o sonho de ingressar em uma faculdade nem começou para muitos candidatos que se inscreveram para os cursos no câmpus de Ceilândia. Os alunos foram surpreendidos pelo novo horário das provas, que foi antecipado em uma hora, passando das 14h para às 13h.

Cerca de 25 pessoas protestaram contra a organização do vestibular, em frente ao Centro Educacional 7, local das provas. Os candidatos reclamavam que não receberam nenhum informativo com a mudança de horário. No local, 129 pessoas foram prejudicadas.


Fonte: Correio Braziliense e Jornal de Brasília

Incêndio em depósito

O depósito de madeiras Mundial Atacadista, localizado na QI 12 do Setor de Materiais de Construção de Ceilândia pegou fogo neste sábado. Por volta das 18h, os Bombeiros foram chamados para apagar o incêndio cujas chamas atingiram 30m de altura.

No total, foram encaminhados sete carros do Corpo de Bombeiros ao local, que levaram quase quase uma hora para controlar o fogo. A perícia investiga o que teria provocado o incêndio. Nenhuma vítima foi registrada.


Fonte: Correio Braziliense

Mais sequestradores presos

A dançarina Sheyla (nome fictício), viveu, na madrugada de ontem (25/07/08), os piores momentos de seus 22 anos de vida. Ela foi sequestrada por três homens armados - desses, dois menores de idade -, quando chegava em sua casa, na quadra 102 de Samambaia. A mulher ficou em poder dos sequestradores por quatro horas, tempo em que circularam de carro por vários pontos da cidade. Enquanto permaneceu coagida, sofreu agressões e torturas psicológicas, até ser abandona na QNN 10, na Guariroba. Os suspeitos do crime foram presos em flagrante porque a própria vítima achou os criminosos e os denunciou.


Durante a tarde, a vítima, junto com dois amigos, resolveu percorrer Ceilândia, na esperança de encontrar o carro roubado. Segundo a dançarina, um veículo parecido com o dela foi visto na BR-070, que liga Brasília a Águas Lindas (GO). Sheyla seguiu o veículo e constatou que se tratava do seu Fox. Durante a perseguição, ela ligou para a Polícia Militar e, em menos de cinco minutos, uma viatura compareceu ao local.

Os sequestradores foram levados para a 23ª Delegacia de Polícia (P Sul). A vítima reconheceu os suspeitos. Os acusados portavam um revólver calibre 38 e uma pistola 765.

Arruda, sargento do 8º Batalhão, informou que Oliveira, um dos sequestradores, foi encaminhado para o Departamento de Polícia Especializada (DPE), no Parque da Cidade. Os outros dois participantes do sequestro, menores de idade, acabaram encaminhados à Delegacia da Criança e do Adolescente II (DCA II).


Fonte: Jornal de Brasília de 26/07/08

Recursos garantidos

Pôr do Sol R$ 49.721.050,53
Sol Nascente R$ 219.958.810,64

Os recursos são do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e serão aplicados na segunda etapa do Programa de Infra-estrutura e Saneamento Básico do Distrito Federal (Pró-Moradia II).

O acerto para a liberação da verba foi feito durante reunião do governador em exercício, Paulo Octávio, com o ministro das Cidades, Márcio Fortes, e o secretário de Obras do DF, Márcio Machado. De acordo com Paulo Octávio, a boa relação entre os dois governos possibilitará o atendimento a mais de 70 mil famílias do Distrito Federal. "É uma ação suprapartidária. A política moderna não permite que diferenças ideológicas prejudiquem o cidadão que paga seus impostos. Tudo o que nos for pedido será feito de imediato", garantiu.


Fonte: Tribuna do Brasil e Jornal de Brasília de 26/07/08

sábado, 26 de julho de 2008

Lotes estão sendo licitados

Quem mora no Setor O está muito preocupado. Os lotes de antigos becos que foram doados para militares em um programa habitacional do governo estão sendo licitados. O problema é que os lotes atualmente estão ocupados.

Muitos militares acabaram vendendo seus lotes e alguns do compradores os revenderam. Com esta base a Terracap resolveu por licitar os lotes que foram vendidos ilegalmente.

Os moradores do setor acabaram criando uma associação para tentar resolver o impasse. Eles reclamam que deveriam ter o direito de continuar morando nas residências.


É uma pena que apenas os novos compradores, que podem ter comprado os lotes sem agirem de má fé, sejam os únicos penalizados. Os militares que receberam o benefício e ainda por cima o repassaram não sofrerão penalidades.

Estes militares sim que deveriam ser responsabilizados pelas vendas irregulares que cometeram.


Talvez outros lotes em Ceilândia e até mesmo no Distrito Federal estejam na mesma situação.

Fonte: Rede Record de 26/07/08.

Vans, ônibus e microônibus



Começaram a rodar por volta das 5h deste sábado (26/07) os microônibus que farão a ligação entre as cidades do Distrito Federal e a zona central de Brasília, além de operar nas linhas circulares do Plano Piloto. Os novos veículos dividem espaço com as vans do transporte alternativo, que conseguiram uma sobrevida no serviço após uma decisão judicial expedida ontem, que impede o GDF de proibir a circulação.

O clima entre cobradores e motoristas dos dois sistemas não é dos mais amistosos. No terminal de ônibus de Samambaia Sul, usuários do transporte coletivo presenciaram até bate-boca entre operadores dos dois grupos.

No final da noite de ontem, a juíza substituta do Trabalho Érica de Oliveira acatou o pedido do Ministério Público do Trabalho, levando em consideração a proteção dos empregos de condutores e cobradores. Isso vai contra a Portaria nº 34/2008, que cassa as licenças dos permissionários do Sistema de Transporte Público Alternativo (STPA). A partir de hoje, quem fosse pego levando passageiros seria autuado como transporte pirata — infração passível de multa de até R$ 5 mil e recolhimento do veículo.

O secretário de Transportes Alberto Fraga disse que, embora a secretaria não tenha sido notificada, será cumprida a decisão judicial e as vans poderão rodar neste fim de semana, já que o trânsito na cidade é mais tranqüilo. Ele alerta, no entanto, que os agentes do DFTrans vão ser rigorosos na fiscalização. Até agora, dois veículos já foram lacrados porque estavam com peneus carecas. Fraga informou ainda que o departamento jurídico da secretaria e a Procuradoria Geral do DF irão trabalhar para buscar a cassação da liminar, a partir de segunda-feira.

O projeto da Secretaria de Transportes prevê que 350 microônibus rodem em 64 linhas que eram feitas tanto por vans quanto por coletivos tradicionais. Quatro linhas foram criadas. Algumas rotas das lotações ficarão a cargo de ônibus. Todos os carros estarão nas ruas das 4h35 às 0h45 do dia seguinte.

Cada microônibus tem capacidade para 25 pessoas sentadas. A passagem varia de R$ 1 a R$ 1,50, o que trará economia para os usuários, já que as tarifas de ônibus convencionais variam de R$ 2 a R$ 3,50, mesma quantia cobrada pelas lotações.



Veja as linhas dos microônibus clicando aqui.

Veja as linhas dos novos ônibus clicando aqui.

Veja os horários de circulação dos veículos clicando aqui.

Fonte: Correio Braziliense, Secretaria de Transportes / GDF e ClicaBrasília

Opinião: trotes

Os números são absurdos e provocam indignação em qualquer cidadão que zela pela cidade, pelo dinheiro gasto com impostos e pelo bem-estar de toda a população. De acordo com a Secretaria de Segurança, a Ciade – Central Integrada de Atendimento e Despacho – atende diariamente 15 mil chamadas de emergência. Infelizmente, mais da metade desses pedidos de ajuda são trotes.

E quem são os responsáveis pelos trotes? Ora, as mesmas pessoas que, em caso de emergência, serão atendidas pela polícia, bombeiros e ambulâncias, todo o aparato montado pelo Estado para garantir a segurança da população.

Todos perdem com essa “brincadeira”. O Estado gasta milhões para manter os serviços de emergência. Cada informação falsa de acidente que é chegada pelas equipes é desperdício de dinheiro público, proveniente dos impostos pagos por todos nós. Os trotes também congestionam as linhas de atendimento e mobilizam desnecessariamente equipes.

Conscientizar e educar as crianças e os jovens sobre os males dessa prática é dever de toda a sociedade. Punir os adultos que praticam esse tipo de crime é obrigação das autoridades.


Fonte: Jornal de Brasília de 23 e 24/07/08 e Band Cidade de 24/07/08

Tempo seco

Assista ao vídeo que fala sobre a baixa umidade do ar que chegou ao Distrito Federal.

CorreioWeb/Tv Brasília

Vale lembrar que não adianta baldes com água e toalhas molhadas espalhadas pela casa. O mais importante é a hidratação do corpo bebendo muitos copos com água ao dia, evitando a exposição ao sol nos períodos mais quentes, usando roupas mais leves e confortáveis e utilizando outros meios para hidratação.

Fonte: Jornal Local de 25/07/08

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Praça do Encontro - inacabada



Uma praça inacabada em frente ao Restaurante Comunitário, no centro de Ceilândia, tem incomodado moradores e comerciantes da região. O local fica perto de duas paradas de ônibus e quem precisa esperar pelo coletivo sofre com o excesso de poeira por causa dos entulhos. Já os trabalhadores, reclamam que a sujeira prejudica o comércio.

Desde setembro do ano passado, quando os camelôs foram embora do centro da cidade, a região tem passado por medidas de revitalização, e a praça é um dos projetos. Quase um ano depois, os comerciantes não sabem porque as obras de construção da praça foram interrompidas. Até hoje, a população espera uma resposta da Administração Regional de Ceilândia.

A gerente de uma loja no local confirmou que a poeira é o principal problema enfrentado por aqueles que passam pela praça diariamente. Segundo ela, o chão do estabelecimento onde trabalha é limpo várias vezes ao dia, na tentativa de minimizar o problema. "Eles deveriam colocar grama e terminar essa praça. Prejudica muito quem tem loja aqui", reclamou.

O atendente de uma lanchonete confirmou as queixas da comerciante e alegou que a Administração não atendeu aos pedidos dos trabalhadores, e muito menos deu uma resposta sobre a questão. Ele ainda disse que os problemas pioram quando chega a época de ventos fortes, pois a poeira costuma invadir as lojas. "Os toldos da lanchonete ficam sempre abaixados para evitar que a poeira entre e incomode os clientes. Do jeito que está é vergonhoso. Afeta todos que têm comércio aqui", reclamou.

O administrador de Ceilândia, Adauri Gomes, informou que a obra da construção da praça não pertence ao Governo do Distrito Federal e por isso, não sabe quando será finalizada. Ainda segundo ele, o projeto para construir a pracinha foi uma cortesia de empresas prestadoras de serviço do GDF.

Adauri ainda confirmou que a Administração não pretende investir no local, pois o centro da cidade vai sofrer alterações logo que as obras do projeto Brasília Integrada, da Secretaria de Transporte, for implantado. "Não gastamos nenhum dinheiro nessa praça, pois corre o risco de ser quebrada depois", finalizou.


Fonte: Tribuna do Brasil

Posto foi fechado



As bombas do Posto Shell, no centro de Ceilândia foram lacradas. O estabelecimento foi fechado no último dia 17, por determinação do Instituto Brasília Ambiental (Ibram), por estar funcionando com licença ambiental vencida. Por isso, todas as atividades do posto estão suspensas por tempo indeterminado.

O gerente de Controle e Planejamento de Operações da Diretoria de Fiscalização Ambiental do Ibram, Juraci Luiz Mendonça, disse que a ausência da licença amiental representa um risco a quem frequenta esse tipo de estabelecimento comercial. Quando o empresário solicita a renovação do documento, técnicos do Ibram precisam realizar uma vistoria minuciosa em toda a estrutura do posto, verificando tanques, realizando estudos na área para evitar contaminação, conferindo as bombas, entre outros serviços.

Caso os proprietários do Posto Shell insistam em religarem as bombas antes de resolverem todos os problemas apontados pelo órgão de fiscalização ambiental do DF, podem responder pelo crime de desobediência à ordem legal, previsto no artigo 330, do Código Penal Brasileiro, cuja pena varia de 15 dias a seis meses de prisão, além de multa.


Fonte: Jornal de Brasília de 24/07/08

Secretário será convocado

Os embates do secretário de Transportes, Alberto Fraga, com o Tribunal de Contas do DF, tiveram reação. Foi unânime a decisão dos conselheiros do tribunal em convocar o secretário para prestar esclarecimentos, até 30 dias, acerca do descumprimento das recomendações do TCDF com relação ao edital de licitação dos microônibus. Se o impasse persistir, as contas da secretaria podem ser consideradas irregulares. Com isso, Fraga corre o risco de ficar inelegível.

Fonte: Jornal Coletivo

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Imagem: possível localização do shopping



Fonte de imagem: Wikimapia

Campanha começou com o CeiTudo

A Associação Comercial, Empresarial e Industrial de Ceilândia tem insistido junto aos meios de comunicação sobre a importância de se referirem à cidade de maneira correta. Até hoje é comum ler ou ouvir na mídia as expressões “da Ceilândia” ou “na Ceilândia”, quando o correto é “em Ceilândia” ou “de Ceilândia”. O próprio site da Administração Regional, por exemplo, ainda traz a forma errada.

A campanha da ACIC é válida e merece apoio. Mas justiça seja feita: salvo engano, quem primeiro chamou a atenção para o problema e suas implicações para a imagem da cidade foi um jornal comunitário intitulado “CeiTudo”, criado por mim, e que circulou por alguns meses do ano de 1997. O “CeiTudo” foi o embrião do Ceilandia.com.




Atualmente a placa da Administração Regional de Ceilândia também foi pintada e utilizou-se o termo "da Ceilândia"...

Não deixe de ver o link do 100% Ceilândia com um vídeo da Dad Squarisi e com outro link para maiores informações.

O blog 100% Ceilândia é totalmente a favor do uso dos termos DE e EM Ceilândia.

Fonte: Ceilândia.com

Novas rotas

A partir do próximo sábado (26/07), 350 microônibus começam a circular em 11 regiões administrativas do Distrito Federal. O novo serviço inaugura a primeira etapa do Brasília Integrada substituindo 51 linhas de ônibus e 13 operadas por vans do transporte alternativo. No total, 68 linhas entram em atividade.

Sobradinho e Santa Maria terão a maior quantidade de linhas de microônibus (12 e 11, respectivamente). Em seguda vem Planaltina (9), Ceilândia (8), Brazlândia e São Sebastião (6), Guará e Recanto das Emas (4), Gama e Paranoá/Itapoã (3) e Samambaia, com duas linhas.

Das 31 linhas restantes operadas por vans, 29 serão feitas por ônibus, já que duas foram desativas (57 e 58). Estas últimas, que circulam em Samambaia, serão supridas pelas linhas 0.366 e 366.1. Também em Ceilândia, 10 linhas feitas por vans passarão a ser operadas por ônibus. Veículos de maior porte também vão atuar em Samambaia, no Riacho Fundo I e II, no Núcleo Bandeirante, no Paranoá, Guará e Recanto das Emas.

Os microônibus ficam em atividade das 4h35 até 00h45, de acordo com o horário de cada linha. Vale lembrar que dos 350 microônibus, 170 possuem acessibilidade universal. O convencional é capaz de transportar 25 pessoas e o especial 21.

Microônibus: novas rotas para Sobradinho, Planaltina, Brazlândia, Santa Maria, Paranoá, Ceilândia, Samambaia, Recanto das Emas, Gama, São Sebastião, Guará.

Ônibus: novas rotas para Planaltina, Paranoá, Ceilândia, Samambaia, Recanto das Emas, Guará, Núcleo Bandeirante, Candangolândia, Riacho Fundo II, Taguatinga.

Negociação
As vans estarão proibidas de circular nas ruas dfo DF a partir desta sexta-feira (26/07). A decisão foi publicada na portaria nº 34, da Secretaria de Transportes. Os motoristas que insistirem em rodar terão seus veículos apreendidos. A multa via de R$ 2 mil a R$ 5 mil.

Desde a semana passada, os motoristas do transporte alternativo tentam uma saída para continuar nas ruas. Eles chegaram até a ameaçar parar as principais vias do DF, alegando a ilegalidade da portaria. O Sindicato dos Permissionários do Transporte Público Alternativo (Sintrafe) sustenta, com base na Lei nº 4.011/07, que as vans só poderiam ter perdido o direito de circular antes de 31 de dezembro de 2009, caso Brasília Integrada estivesse concluído.



Segundo o jornal, os novos ônibus farão as rotas das vans que deverão sair e os microônibus farão as linhas circulares (as que já são atendidas também por ônibus), principalmente em Ceilândia.

No site do jornal tem dois links de arquivos em .pdf para se verificar por onde irão passar os novos veículos.

Em tempo, o Sindicato dos Permissionários conseguiu uma chance de continuar rodando. Hoje (24/07/08) ele conseguiu uma grande vitória na justiça.

Vamos ver o que o GDF irá fazer e se realmente as vans continuarão ou não rodando no Distrito Federal.


Fonte: Correio Braziliense

Lembrando: Vestibular é domingo

Neste fim de semana, 4.138 candidatos irão disputar as 560 vagas do primeiro vestibular para os câmpus de Ceilândia e Gama e dos novos cursos do câmpus de Planaltina, da Universidade de Brasília (UnB). Do total de vagas, 112 estão reservadas para o sistema de cotas para negros. Das oito graduações ofertadas, a mais concorrida é fisioterapia, com 14,58 candidatos por vaga.

Serão oferecidos em Ceilândia os cursos de farmácia (45 vagas), enfermagem (45 vagas), fisioterapia (45 vagas), gestão de saúde (60 vagas) e terapia ocupacional (45 vagas). No Gama, são 240 vagas para engenharias eletrônica, automotiva, de energia e de software. O campus de Planaltina ganhou dois cursos noturnos: gestão ambiental e licenciatura em ciências naturais, ambos com 40 vagas.

As provas estão marcadas para às 13h. No sábado (26/07), os alunos terão pela frente 150 itens das disciplinas de Língua Estrangeira, Linguagens e Códigos e Ciências Sociais (Português, Literatura, Geografia e História) e a redação. Já no domingo, as provas serão de Ciências da Natureza (Biologia, Física, Química) e Matemática. As provas serão aplicadas em Brasília, Brazlândia, Ceilândia, Gama, Planaltina, Sobradinho e Taguatinga.

O gabarito preliminar das provas será publicado na terça-feira (29/07). Os candidatos terão dois dias para entrar com recurso. O resultado dos aprovados em 1ª chamada está previsto para 18 de agosto. Os calouros poderão fazer o registro nos dias 21 e 22 de agosto.


Fonte: Correio Braziliense

Opinião: viadutos por todo lado?

Paulo Maluf foi um dos governantes que, com sua obsessão por obras viárias grandiosas e exageradamente caras, mais contribuíram para que São Paulo se transformasse em uma das cidades mais feias do planeta. O símbolo do estilo Maluf de deformar cidades é o viaduto Costa e Silva, mais conhecido como Minhocão.

Pois de uns tempos para cá - mais especificamente a partir de Joaquim Roriz - parece que os governantes do DF tornaram-se todos fiéis discípulos de Maluf (não se está falando aqui de superfaturamento, desvio de verbas etc. Este tema renderia muitos outros artigos).

Um dos primeiros sintomas da paulistanização de Brasília foi a construção do viaduto Ayrton Senna, no Cruzeiro. A obra é um monstrengo cuja feiúra parecia insuperável, o que logo se provou possível com a construção de um outro em frente à rodoferroviária. Vieram a seguir mais alguns no mesmo estilo, como o do final do Pistão Sul de Taguatinga e aquele que dá acesso ao Recanto das Emas.

Existe o projeto de se construir mais um, desta vez próximo ao estádio Serejão. Trata-se de obra necessária, dado o volume de tráfego no cruzamento das vias que ligam Ceilândia, Taguatinga e Samambia. Mas basta dar uma olhada na imagem acima para se ter uma idéia do impacto visual que a obra terá na paisagem ao redor.

Quem passa hoje por aquelas vias descortina um horizonte amplo, interrompido ao longe pelos edifícios de Taguatinga e de Samambaia, intercalados pela vegetação que sobrou entre estas duas cidades. Uma paisagem agradável que será alterada radicalmente caso seja de fato construído um viaduto à la Roriz/Maluf naquela via. Em vez de vegetação e prédios ao longe, os motoristas que vêm das QNL, por exemplo, vão se deparar com um paredão de concreto surgido repentinamente do nada.

Para alguns isto pode parecer algo de menor importância. Mas a paisagem urbana interfere significativamente no estado psicológico das pessoas. Cidades caóticas, barulhentas ou visualmente desagradáveis tendem a abrigar moradores neuróticos, depressivos ou estressados. Quem vive no DF tem o raro privilégio de ainda poder desfrutar de amplos espaços, horizontes quase infinitos. Há que se tentar preservar esta dádiva.

Vias elevadas podem até ser úteis para prestar homenagens demagógicas, agradar a empreiteiros doadores de campanha ou afixar placas com o nome do governante de turno. Mas poluem visualmente a cidade. No caso em questão, como o terreno é todo em declive, os engenheiros nem podem usar a desculpa de que o formato escolhido visa a facilitar o escoamento da água das chuvas.

Para técnicos que não sabem ou se esqueceram de que é possível projetar encontros de vias movimentadas sem destruir a paisagem em volta, sugere-se uma visita aos viadutos do final do Eixão Sul ou àqueles ao lado da Octogonal. Com suas ramificações construídas no mesmo nível do solo, e abaixo dele, são bons modelos de um tempo em que este tipo de obra era usado apenas para resolver problemas de tráfego.


Fonte: Ceilândia.com

Pipas - Todo cuidado é pouco!

Ainda é cedo quando os meninos da Estrutural se encontram para soltar pipa - uma diversão comum no campinho do lugar. Mas a brincadeira pode causar acidentes. No ano passado, o Corpo de Bombeiros registrou 15 ocorrências com cerol, o pó de vidro que pode matar.

“Com relação ao cerol, 25% das pessoas que são atingidas vêm a óbito. E 50% têm lesões graves. São ocorrências muito graves”, afirma a tenente Ester, do Corpo de Bombeiros.

Mas não é só o cerol que oferece risco. Muitas crianças caem de lajes, telhados ou mesmo dentro de buracos. Elas soltam as pipas e não olham se a área ao redor é segura.

“Eu cai num buraco quando estava correndo com a pipa. Estava de costas e não vi. Acabei me machucando”, conta Jonatan Matheus, de 10 anos. “Conheço um menino que caiu num buraco ainda mais fundo. Ele estava correndo atrás de pipa, tomou um empurrão do amigo e caiu de cabeça dentro de um buracão. Foi o maior sacrifício para o pai dele conseguir tirar ele lá de dentro”, relata.

“Minha mãe fala que não pode correr atrás de pipa porque é muito perigoso”, diz João Vitor Barros, de 7 anos.

Em Luziânia, no último fim de semana, Júlio, de 8 anos, ficou quatro dias dentro de uma cisterna com oito metros de profundidade. Ele caiu enquanto soltava uma pipa. Ao ser resgatado, o menino estava desidratado.

A recomendação da Defesa Civil é que as crianças soltem as pipas em áreas abertas, como parques ou campos de futebol. Elas devem ficar longe de postes, fios de alta tensão e antenas. Também não devem subir em telhados e muito menos em muros. E olhar bem onde pisam, especialmente quando caminharem para trás, para não cair.

“Nesse período de férias, é importante que o motorista fique atento ao transitar pelas cidades satélites. Atrás de uma bola e de uma pipa sempre há uma criança correndo desatenta”, adverte o subsecretário de Defesa Civil, Coronel Ribeiro.

Serviço:

Em caso de acidente com pipas, ligue para o 190.


Fonte: Rede Globo

quarta-feira, 23 de julho de 2008

DE e EM Ceilândia

Olá!

Sobre a seguinte nota publicada no site da ACIC: "... a publicidade do GDF, nos jornais de ontem, sobre o projeto das vilas olímpicas já menciona a expressão correta “ GDF constrói vila olímpica em Ceilândia”. Parabéns! Ao pessoal de comunicação do GDF por eliminar da publicidade oficial as expressões preconceituosas “Da Ceilândia e Na Ceilândia”.

Vocês já notaram que há mais de três anos o Jornal Coletivo usa a expressão de Ceilândia ou em Ceilândia, como tem sido a sua campanha? Então, quero contar que sou moradora de Ceilândia e jornalista/revisora do Jornal Coletivo e, desde que atuo neste jornal todas as expressões da ou na Ceilândia são substituídas por de ou em Ceilândia.

A propósito, fiquei com “ciúme” por vocês parabenizaram outros jornais, sendo que a revisão do Coletivo já vem há muito tempo trabalhando para mudar a tal expressão.


Beatriz


Obsimp: A Associação Comercial, Empresarial e Industrial de Ceilândia (ACIC-DF) tem feito forte campanha para que o uso dos termos DE e EM Ceilândia sejam utilizados pela mídia em geral.

Fonte: ACIC-DF

Parquinho sem graça



Imagine um parquinho de criança sem nenhum balanço, escorregador, gangorra ou areia. Parece impossível, mas essa é a realidade do parque infantil da QNP 10, do Setor P. Sul de Ceilândia. A praça fica em frente ao Centro de Ensino Fundamental 18 e abriga também uma quadra de esportes. O local sofre com o descaso e causa indignação nos moradores.

Assim como os parquinhos, a quadra de esportes também está em situação precária. Segundo os moradores, a solicitação para revitalizarem o local já existe há 15 anos e vários abaixo assinados foram preparados, mas até hoje nada foi resolvido. A única reforma feita na quadra partiu dos próprios jovens que utilizam o espaço.

Sem manutenção, o parque para brincar se torna refúgio de usuários de drogas, segundo os moradores da quadra. Uma moradora alegou que é possível encontrar usuários de drogas em plena luz do dia, no espaço em frente à escola.

A dona-de-casa Sebastiana José Prado tem dois netos pequenos e é vizinha do parque. Segundo ela, mesmo durante as férias, as crianças não costumam freqüentar o espaço, pois correm risco de se machucar. "Eles até vão lá, mas não podem brincar muito, pois há malandros no parquinho", lamentou. Segundo ela, somente na rua onde mora, cerca de 30 crianças não tem espaço para brincar.

Assim como os netos de Sebastiana, os de Raimunda Nonata, 53 anos, também são impossibilitados de se divertir. As reclamações vão além e a avó lamenta que não deixa as crianças ficarem do lado de fora de casa, pois não há quebra molas na rua e elas podem ser atropeladas. "Eles brincam somente dentro de casa. Aqui necessita de um parquinho com urgência. Já foram feitas reclamações e nada foi feito, pois somos a minoria", disse.

Para a população, se o parquinho e a quadra de esportes fossem revitalizados, os marginais iriam se inibir em permanecer no local. Por ser perto de uma escola, a população pede a reforma com urgência. Além disso, eles também reivindicam a colocação de grades em volta dos parquinhos, para evitar a presença de animais domésticos.

A Administração Regional da cidade informou que, por enquanto, não há projeto para a reforma dos parquinhos da QNP 10. Há apenas um plano para reformar a quadra de esportes, mas não há previsão para iniciar as obras.


Fonte: Tribuna do Brasil

Campus ainda não estão prontos

A aparência é de um prédio abandonado, sujo, cheio de material velho espalhado pelo pátio, salas com vidros quebrados e que não têm sequer carteiras. Este é o prédio, no anexo do Centro de Ensino Médio, onde vai funcionar o campus provisório da Universidade de Brasília, em Ceilândia.

“Falta um mês e três dias. A gente não sabe se vai ter tempo hábil pra essa reforma, até porque é uma reforma estrutural, precisa de manutenção elétrica e hidráulica. Não é uma simples pintura”, conta o diretor do Centro de Ensino Médio de Ceilândia, Nilson Magalhães.

No Gama, as aulas do curso de engenharia vão ser no prédio do antigo fórum, onde a universidade tem um núcleo de extensão. O espaço já começou a ser reformado e a meta é que tudo fique pronto até o dia 25 de agosto, início do semestre letivo.

A construção dos dois novos prédios da UnB vai custar R$ 12 milhões. Parte do dinheiro é do governo federal, a outra é do GDF. No Gama o processo está mais adiantado. A licitação já foi feita e a empresa responsável pela obra foi escolhida. No entanto, na Ceilândia a situação é diferente e o processo licitatório só deve ser concluído no mês que vem.

A decana de Ensino e Graduação, Márcia Abraão, garante que os novos prédios devem ficar prontos até julho do ano que vem. Sobre a reforma da sede provisória na Ceilândia ela afirma: “É importante que se diga que quando nós assumimos, havia um acordo verbal com o GDF para que eles fizessem a reforma da escola. Ao procurar o GDF, o governador e o secretário de Obras garantiram que as reformas vão ficar prontas até 25 de agosto”, comenta.

A Secretaria de Obras informou que a reforma do Centro de Ensino Médio de Ceilândia vai começar em uma semana e estará concluída a tempo, para o início das aulas da UnB.


Fonte: Rede Globo

terça-feira, 22 de julho de 2008

A viagem continua...

Em seu segundo dia em Washington, o governador José Roberto Arruda (DEM) reuniu-se com os secretários de Transportes, Alberto Fraga, e de Planejamento, Ricardo Penna, e o subsecretário de Captação de Recursos, João Carlos Quijano, para discutir detalhes dos projetos que serão apresentados aos dirigentes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) amanhã e do Banco Mundial (BIRD), na quinta-feira. Entre os projetos em discussão estão o Brasília Sustentável II, o Brasília Integrada, o de refinanciamento da dívida do GDF e o SWAP, um programa de empréstimo vinculado ao cumprimento de metas nos setores de educação, saúde e segurança.

Com os técnicos do Banco Mundial, o governador e sua equipe mostrará o desenvolvimento das obras em execução na Estrutural, financiadas pelo programa Brasília Sustentável I, e pedirá recursos para a implementação do Brasília Sustentável II. Este prevê obras de urbanização, drenagem, esgoto e água para a Vila São José, em Brazlândia, e nos condomínios Sol Nascente e Pôr do Sol, em Ceilândia.


Fonte: ComuniWeb aqui e aqui

Opinião: O futebol "candango"

O DF é dividido em 29 regiões administrativas. Se fosse um estado como os outros 26 do Brasil, essas regiões administrativas poderiam ser consideradas as cidades. Para o futebol, no entanto, algumas dessas regiões não são suficientes para sustentar um clube de futebol profissional, seja por terem uma população pequena ou por serem apenas regiões administrativas, como o caso do SIA.

Portanto, as "cidades" do DF com capacidade econômica ou população suficientes para sustentar um clube de futebol profissional seriam as seguintes: Brasília (incluindo Lago Sul, Lago Norte e Sudoeste), Gama, Taguatinga, Brazlândia, Sobradinho, Planaltina, Paranoá, Núcleo Bandeirante, Ceilândia, Guará, Cruzeiro, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião, Recanto das Emas e Riacho Fundo. Levando-se em consideração que Brasília, Taguatinga e Ceilândia têm população acima de 200 mil habitantes e poderiam ter dois clubes, e considerando Luziânia, Unaí e Formosa como parte da geografia futebolística do DF, chegamos a uma realidade em que 22 seria o número máximo de clubes que o "mercado" do DF comportaria. Como comparação, neste ano, o futebol candango terá 24 clubes em atividade - oito na primeira, oito na Segundona e oito na Terceirona. A Terceirona tem sua rodada final no próximo final de semana e a Segundona começa no dia 3 de agosto, no outro final de semana.

O número de clubes numa competição não pode ser determinado por critérios de população, geografia ou número de regiões administrativas. Por uma questão de bom senso, o número de clubes numa competição deve ser decidido sempre levando em consideração o calendário e a quantidade de datas disponíveis, considerando também a forma de disputa da competição. Parto do princípio de que uma competição justa e equilibrada é aquela em que os clubes se enfrentam em turno e returno, jogos de ida e volta. Pode ser pontos corridos, pode ser mata-mata, mas desde que se enfrentem na casa de um e na casa de outro. Parto também do princípio de que uma competição para ser atraente precisa ser compatível com o calendário e que suas datas não entrem em conflito com as datas de outras competições, além de respeitar as férias e pré-temporada dos atletas.

Por isso, considero correta a determinação de 8 clubes na 1ª divisão do futebol candango, o que acontece desde 2007. Se a CBF mantiver as 23 datas destinadas para os estaduais nos próximos anos, o Candangão poderia voltar, em caráter definitivo, a ter 10 clubes na 1ª divisão. Mas não mais que 10 clubes. Por esse mesmo raciocínio, fica claro que não há necessidade de ter apenas 8 clubes na Segundona, já que há datas suficientes para organizar essa competição com mais clubes. Fica, portanto, sem sentido manter a Terceirona. E se o objetivo de criar a Terceirona foi mesmo de valorizar a Segundona, por que não criar uma "quarentena" para os últimos colocados da Segundona? É menos oneroso para esses clubes ficarem parados, sem atividades, por um ano do que disputarem uma competição deficitária.


Lindberg Júnior

Fonte: Tribuna do Brasil

Palco SESC

Ceilândia recebeu no final do ano passado a maior unidade do Sesc do Centro-Oeste. Com capacidade para 500 pessoas, o Teatro Newton Rossi é palco de vários projetos culturais.

Segundo o presidente do Sesc-DF, senador Aldemir Santana, a construção do Sesc foi bastante estudada. "Quando decidimos construir, procuramos saber onde tinha a maior massa de trabalhadores e Ceilândia foi o lugar", explicou. "A cidade passou a ser um local de referência cultural para pessoas que talvez não tenham condições de assistir a uma peça de teatro no Plano Piloto, por exemplo", completou.

Com diversificação de atrações, o Sesc conta ainda com projetos sociais e outras realizações culturais. A iniciativa "De repente rap" unirá repentistas com rapers, e, do dia 3 ao dia 7 de setembro haverá a 1ª Bienal Internacional de Poesia. "Eu estou achando ótimo, é importante porque muita gente que mora aqui não tinha acesso a coisas fora da cidade, porém, deveria ter mais divulgação", relatou a atendente Graziele Vigano, 26 anos.

Os projetos e iniciativas em Ceilândia têm buscado cada vez mais transformar o eixo de cultura na cidade. "De alguma forma, estamos mudando a história de Ceilândia", completou o senador Santana.


Fonte: Tribuna do Brasil

Quadrilha de sequestradores é presa

Depois de três meses de investigação, policiais da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV) prenderam ontem uma quadrilha de assaltantes que agia na área de Ceilândia. Segundo o delegado adjunto da DRFV, Daniel Gomes, os acusados Ricardo Alves da Costa, 25 anos, e Delmar Ferreira Lopes, 32, residentes no Parque da Barragem, Águas Lindas-GO, foram detidos naquela cidade, em cumprimento a um mandado de prisão temporária. Uma das características de atuação dos meliantes era a de deixar suas vítimas sem roupas.

De acordo com a polícia, no momento da prisão eles estavam de posse de dois revólveres calibre 38, municiados, os quais eram usados durante os assaltos. A polícia já vinha monitorando os acusados e esperava o momento exato para efetuar as prisões. Ao serem abordados pelos agentes da DRFV, os elementos não ofereceram resistência.

Uma mulher, Daiana Pereira de Oliveira, 23 anos, que também foi detida, seria namorada de um dos elementos e teria participado de pelo menos dois, dos três assaltos elucidados pela Seção de Investigação da DRFV. Daiana, que está grávida de quatro meses, estava em liberdade provisória por causa de outros crimes a que responde na justiça. O trio já foi reconhecido como autor dos assaltos por três vítimas que estiveram na delegacia na tarde de ontem.

Há pelo menos 10 denúncias contra os assaltantes. No geral, abordavam as vítimas no momento em que chegavam aos seus veículos em estacionamentos e mediante ameaça de armas de fogo, conduziam-nas até as margens da BR 070, em local ermo, onde subtraíam seus pertences e exigiam inclusive seus cartões bancários com os quais efetuavam saques. "Após a consumação do delito, os acusados deixavam as vítimas despidas e amarradas em um matagal, levando os veículos. As investigações continuarão visando a elucidar outros crimes praticados pela quadrilha", relata o delegado Daniel.

Depois de depenar os veículos, levando peças e acessórios, os assaltantes os abandonavam " geralmente na cidade Águas Lindas, Entorno de Brasília", revelou um agente da DRFV. Com a divulgação das imagens dos assaltantes, a polícia espera que mais vítimas os reconheçam e possam efetivar as denúncias. Os acusados foram indiciados pelos crimes de roubo, mediante seqüestro e por porte ilegal de armas de fogo, podendo pegar de quatro a 10 anos de prisão.


Fonte: Tribuna do Brasil, Clica Brasília e Correio Braziliense

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Imagem: Vila Olímpica

Abaixo mais uma imagem do projeto de construção de uma das Vilas Olímpicas do DF. A primeira que deverá ser construída em Ceilândia ficará localizada no Setor O. Mas o antigo Parque de Vaquejada, no Sol Nascente, também terá a sua.



Fonte: Governo do Distrito Federal

Opinião: Privacidade chipada

O sistema de monitoramento previsto na Resolução 212 do Contran será uma solução viável? Tudo bem que ajudará a polícia em casos de seqüestros relâmpagos e a encontrar carros roubados, mas será que seremos "vigiados" somente nesses momentos? O que garante que sua vida pessoal não será transformada em um BBB real? Será fácil seguir os passos, digo as rodas, pelo Brasil a fora... Adeus liberdade de ir e vir.

Se a finalidade é identificar os carros que realmente tenham uma pendência a resolver, então que um chip (não rastreável, evidente), ou um código de barras, fique no documento do veículo e não no próprio. Bastaria um agente te parar, pedir o documento, passar em uma leitora magnética e pronto. Todo o histórico do veículo seria mostrado.

O Detran já sabe quem são os motoristas infratores, então o que falta é pará-los nas operações. Simples! Que tal a sociedade civil organizada da nossa cidade liderar este assunto e debatermos na sede da ACIC?



Geraldo Lemos – Ceilândia – DF

Fonte: ACIC-DF

Muitas denúncias

"Eu não volto mais pra aquela casa. Eu odeio aquela mulher". Essas são as duras palavras de Mariana*. A menina, que tem apenas 10 anos, já tem na sua mente a idéia fixa do que ela não quer mais na sua vida. Na sua história, uma madrasta que ela diz "odiar", pois segundo relatos da garota, "deixava ela sem comer e a batia todos os dias". Mariana foi parar no Conselho Tutelar de Ceilândia, porque fugiu de casa. Não queria ser mais maltratada pela madrasta.

A menina passou a primeira noite na casa de uma conselheira tutelar. Somente na manhã do dia seguinte, a madrasta a encontrou, jurando não bater na criança. Porém, as marcas na cabeça de Mariana denunciavam que aquela era mais uma história de violência contra menor. A história de Mariana não é um caso isolado. Se mistura a de outras milhares de crianças que são violentadas e têm seus direitos violados em todo o Brasil.

O Estatuto da Criança de Adolescente (ECA) completou 18 anos no dia 13 de julho, mas mesmo depois de atingir a maioridade, os direitos mínimos das crianças e dos adolescentes, previstos no ECA, ainda não são respeitados.

Segundo a conselheira tutelar de Ceilândia, Selma Aparecida da Costa, o Conselho Tutelar de Ceilândia é o local que mais recebe denúncias de desrespeitos contra as crianças em todo DF. Hoje o conselho recebe diariamente cerca de 30 denúncias. Mas esse número pode ser ainda maior, já que não são todos os casos que são denunciados.

Selma alerta que como acontecem em Ceilândia, o despeito também é percebido em outros locais do Distrito Federal onde a classe social é mais elevada. "Antes eu pensava que a violação dos direitos das crianças era um fator sócio-econômico. Mas hoje o que eu percebo que em todas as classes sociais os direitos das crianças e dos adolescentes são ignorados", afirma.




Mas não é apenas denúncia contra o direito à integridade física que pode ser registrada no conselho tutelar. Segundo Selma, a violação de direitos como o direito a educação básica também deve ser garantido. Hoje, uma das maiores ocorrências da cidade são de crianças que ficam em casa sozinhas porque as suas mães saem para trabalhar.

Segundo a conselheira, em 2006 havia, aproximadamente, cinco mil famílias procurando uma creche para seus filhos. Ela alerta que esse número pode ser aumentado, pois para cada família que procura o conselho, existem duas ou até mais crianças com idade de está em uma creche.

Ela alerta que o desrespeito à integridade física não é cometido apenas pelos pais. Muitas vezes, são as tias avós e até primos os denunciados. "O núcleo familiar é preconceituoso. Os adultos não entendem que toda criança tem idéias e desejos próprios, e elas têm de ser respeitadas", alerta. Selma lembra que garantir os direitos das crianças e dos adolescentes não é um dever apenas dos pais, mas de toda a sociedade. "Todos têm o dever de denunciar os maus tratos".

O estatuto prevê um conselho para cada grupo de 200 mil pessoas. No caso de Ceilândia, onde a população é de aproximadamente 600 mil pessoas, há apenas um Conselho Tutelar. Na instituição de Ceilândia, sobram reclamações. Da falta de material a uma estrutura melhor para atendimento da demanda. "Trabalhamos para que o Estatuto seja realmente um instrumento para garantia de direitos das crianças e dos adolescentes. O nosso trabalho aqui é um trabalho de formiguinha e de amor ao que fazemos", diz Selma.


Fonte: Tribuna do Brasil

Comprar bafômetro?

A reportagem a seguir relata que alguns motoristas estão comprando via internet bafômetros para avaliar o nível de alcool expelido pelo ar.

Segundo um fiscal do Detran-DF, estes aparelhos podem não indicar a realidade e ao se soprar utilizando o aparelho oficial do órgão pode dar um índice não aceito pela lei.

Veja o vídeo:
CorreioWeb/Tv Brasília

Fonte: Jornal Local de 19/07/08

domingo, 20 de julho de 2008

Novos e sem uso



Os computadores estão novinhos, o espaço é grande e tem cadeiras e mesas novas. No entanto, após oito meses da chegada dos equipamentos, os 11 computadores da Biblioteca de Ceilândia ainda não funcionam. As máquinas foram doadas pela Secretaria de Cultura, em dezembro de 2007. O motivo de tanta demora é porque a Internet ainda não foi instalada.

Segundo a chefe do Núcleo de Cultura da biblioteca, Honorita Luiza Barbosa, o funcionamento do Telecentro (ambiente de acesso à Internet) da unidade ainda não foi realizado porque o teto do estabelecimento passava por uma reforma nos primeiros meses deste ano. A sala onde ficam os computadores só ficou pronta em abril. Mesmo assim, os benefícios ainda não chegaram à unidade.

O administrador de Ceilândia, Adauri Gomes, informou que o problema da falta de link para a Internet está perto de ser solucionado. Será feita uma licitação para contratar a empresa responsável pela instalação e os trabalhos serão realizados em, no máximo, 40 dias. Segundo ele, nem mesmo os computadores da Administração acessam a Internet.

Antes, os computadores eram emprestados pelo Banco do Brasil e Honorita confirma que quando as máquinas foram retiradas da biblioteca, houve uma queda no número de pessoas que freqüentam o estabelecimento. "A comunidade está ansiosa para ver os computadores funcionando. O aceso à Internet de graça vai atrair mais usuários para o espaço", disse.



Os alunos de Ceilândia aproveitam o período de férias para assistir aulas diferentes na biblioteca. A oficina de Produção de Desenhos em Quadrinhos é ministrada por dois desenhistas voluntários. As aulas acontecem aos sábados e os alunos aprendem a produzir desenhos e textos de história em quadrinhos.

Segundo Honorita, logo nos primeiros dias da oficina, a procura foi pequena. Ela informou que apenas 14 alunos compareciam às aulas. Agora, a participação cresceu bastante e algumas aulas chegaram a ter 76 interessados, entre crianças, jovens e adultos. "Esta foi uma forma de atrair leitores para a biblioteca. Não sabia que ia ter uma divulgação tão grande. Foi uma surpresa para mim", comemora Honorita.


Fonte: Tribuna do Brasil e Rede Globo

Reservado

O deputado distrital Berinaldo Pontes esteve na sexta-feira no shopping Conjunto Nacional para verificar se os restaurantes da praça de alimentação já cumpriam a lei nº 4117, que determina a reserva de 5% das mesas de bares e restaurantes para pessoas portadoras de necessidades especiais. Segundo o deputado, "a olho nú" é possível perceber que os restaurantes ainda não se adequaram às normas.

Após a visita, a análise será encaminhada para o diretor da Agência de Fiscalização do DF, Roney Nemer. O estabelecimento que não cumprir a lei, de autoria de Berinaldo, em vigor desde o final de junho, pagará uma multa de meio salário mínimo. O deputado reconhece que os comerciantes demonstram receio. "Eles têm medo de perder vendas. Os comerciantes têm que saber que a mesa não será exclusiva para as pessoas com necessidades, mas será preferencial para eles", disse.

De acordo com o presidente da Sindhobar, Clayton Machado, a lei virou mais uma carga para os empresários. "Já existe as que beneficiam idosos e pessoas portadoras de necessidades especiais. Achei desnecessária a criação de mais uma lei", alegou. Apesar disso, o presidente não deixa de orientar os associados para que cumpram o que foi determinado.

Já as pessoas que convivem diariamente com a difícil acessibilidade aprovam a medida. A presidente da comissão Gente como a Gente, que acompanhou a fiscalização do deputado no Conjunto Nacional, Maria de Fátima Amaral, de 42 anos é cadeirante. Ela tem esperanças de que a lei entre em vigor, pois sente muita dificuldade de locomoção, principalmente em áreas de alimentação. "O acesso já é difícil para nós. Se realmente a exigência entrar em vigor, vai nos facilitar muito, pois dessa forma vamos conseguir viver normalmente como qualquer pessoa", disse.

A deficiente visual Adriana Lourenço, de 38 anos, é funcionária do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Coddede) e integrante da Associação Brasileira de Deficientes Visuais (ABDV). Adriana costuma ir ao shopping com bastante freqüência. "Acredito que a lei vai dar certo. Precisamos desse direito. Além disso, eu como sou deficiente visual, sinto falta de um piso tátil no shopping", declarou.


Fonte: Tribuna do Brasil

sábado, 19 de julho de 2008

Ceilândia Maravilha

Trechos do Crônica da Cidade:



Depois da eleição virtual das sete maravilhas do mundo moderno, criou-se uma corrente de maravilhas pelo planeta. Madri, Barcelona, Rio, Brasília (a Catedral foi a mais votada) são algumas das que escolheram suas obras preferidas. Diante disso, Ceilândia não poderia ficar com cara de paisagem. A cidade está escolhendo o lugar ou os lugares preferidos pelos moradores. A votação está sendo feita pelo blog 100porcentoceilandia.blogspot.com, e já começam a surgir candidatos favoritos...
...
A Praça do Cidadão e o Abadião, o estádio da cidade... ...a Praça dos Eucaliptos, o Museu da Memória Viva, o Centro Cultural, o Parque do Descoberto, a Praça do Trabalhador, a Feira do Produtor e a Praça do Encontro.
...
Com seu desenho sinuoso e elegante, a Caixa d’Água... Foi construída no local onde se lançou a pedra fundamental da cidade, o que por si só já é marcante para a história ceilandense.
...
Mais nordestina das feiras do quadradinho, a de Ceilândia é passagem obrigatória de candidatos às vésperas das eleições.
...
...o Ceilambódromo... A área se transformou num espaço para atividades esportivas e grandes shows... O projeto é de Oscar Niemeyer, que já adiantou ter desenhado algo parecido com o sambódromo, do Rio de Janeiro. Ou seja: não haverá surpresas, caso a obra venha um dia a ser executada.
...
A Casa do Cantador, obra de Niemeyer para homenagear os cantadores de cordel... Em seguida, aparece a Feira do Rolo, de que todo mundo se lembra por conta da venda de produtos roubados. Mas o rolo, rolo mesmo, era só numa parte da feira, onde havia o troca-troca de produtos de origem suspeita. No mais eram feirantes tentando garantir o leite das crianças.
...




A autora da crônica, Conceição Freitas, demonstra nítido amor por um dos candidatos a principal símbolo da cidade de Ceilândia. Todos os visitantes do 100% Ceilândia podem participar.



E você, internauta, que ainda não votou... Participe de nossa enquente! Já estamos chegando na reta final.

Está com dúvidas a respeito dos candidatos? Visite o link do 100% Ceilândia e escolha os principais símbolos de Ceilândia.

Fonte: Correio Braziliense de 18/07/08

Teatro no projeto Palco Giratório 2008



O Pupilo Quer Ser Tutor (SC)

19/07, sábado, às 20h, no Teatro SESC Newton Rossi
Classificação Indicativa: 15 anos
Entrada: mediante doação de 1 kg de alimento não-perecível por pessoa (ingressos 30 minutos antes de começar o espetáculo).

Fonte: SESC-DF aqui e aqui e Correio Braziliense

Vans podem sair

O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, manteve a decisão de excluir as 657 vans do serviço de transporte público a partir da próxima sexta-feira (25/07). Após uma reunião com representantes dos permissionários Arruda prometeu que, na segunda-feira (21/07), serão abertas novas negociações com o chefe da Casa Civil, José Geraldo Maciel, para que as atuais vans sejam trocadas pelos microônibus.

No entanto, o governador não explicou como isto seria possível já que o processo de licitação pública dos microônibus terminou. Arruda garantiu que não irá derrubar a portaria que exclui as vans do serviço de transporte público do DF, públicada nesta quinta-feira. Afirmou, também, que os permissionários que estiverem insatisfeitos devem entrar na Justiça. O principal motivo apontado para o fim da utilização das vans é a falta de adequação às necessidades tecnológicas do plano Brasília Integrada.

Segundo Arruda , as vans continuam a circular até quinta-feira (24/07). Na sexta, serão substituídas por 350 microônibus. No entanto, os microônibus podem entrar antes em circulação caso haja uma nova paralisação das vans. No total, estão previstos 450 microônibus divididos em 83 linhas. Os outros 100 microônibus estão com processos de licitação parados, pois alguns concorrentes entraram com liminar na Justiça.

No início desta tarde, o secretário de Transportes, Alberto Fraga, chegou a anunciar que a proibição de vans passaria a valer a partir desta segunda-feira, após se reunir com a Procuradoria do DF, na residência oficial de Águas Claras. A decisão teria sido tomada porque os permissionários ameaçavam interditar as principais vias do DF, o que causaria um verdadeiro caos no trânsito. Na quinta-feira, motoristas de vans interditaram duas das pistas da EPTG, no sentido Plano Piloto-Taguatinga, no trecho que passa em frente à residência oficial do governador. Eles só deixaram o local às 12h desta sexta.


Fonte: Correio Braziliense aqui e aqui e Tribuna do Brasil aqui e aqui

Amendoins proibidos

O Núcleo de Inspeção da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) alerta aos consumidores que compraram amendoim das marcas “Da Rocinha” e “Moinho Brasília” nas últimas semanas para que verifiquem o número do lote. Se o pacote for do lote 10, da primeira, ou lote 8 da segunda, os fiscais da Anvisa devem ser avisados para tomar as devidas providências sobre os produtos, que estão interditados pela Anvisa.

Os fiscais do núcleo de inspeção estiveram em 25 supermercados do Distrito Federal, mas nenhum amendoim das marcas foram encontrados. “Contudo, não verificamos mercados menores e, por isso, precisamos de informações das pessoas que conheçam locais que vendem estes tipos de produtos”, revela o chefe do núcleo de inspeção, Márcio Cândido de Jesus.

O alerta emitido pela Anvisa proibiu a venda desses lotes depois que foram verificados, em Minas Gerais, sinais de contaminação por um fungo que produz uma toxina capaz de causar câncer. “Eles apresentaram altos teores de aflatoxina e as pessoas que comem diariamente os amendoins podem apresentar algum tipo de reação, devido ao acúmulo da substância no fígado, entre elas a necrose (morte do tecido orgânico)”, afirmou o chefe da inspetoria.

Segundo ele, o produto do lote 10, da marca “Da Rocinha”, apresentou 359mg de aflotoxina, quando o máximo permitido pela Anvisa é de 20mg. O lote tinha validade até 20 de outubro. Já o lote 8 da “Moinho Brasília” apresentou 116mg, este tinha validade até 20 de agosto. "No começo do ano os amendoins do lote 3, da marca Nutribem, com validade em fevereiro de 2009, foi retirado do mercado por apresentar altos níveis da mesma toxina", informou o inspetor.



A empresa Moinho Brasília, responsável pelo empacotamento do produto, informou que já entrou em contato com o fornecedor para que sejam retiradas do mercado o lote interditado pela Anvisa.

Quem tiver mais informações pode contatar o núcleo de inspeção pelos telefones: 3325-4806 ou 3325-4808.


Fonte: Correio Braziliense

Carros chipados

O governador José Roberto Arruda decretou, nesta quinta-feira (17), a criação do Programa de Sistema de Identificação Automática de Veículos (SIAV), por meio do qual serão implantados chips, gratuitamente, nos pára-brisas dos carros. O sistema servirá para que o Departamento de Trânsito (Detran) consiga localizar carros roubados, seqüestros relâmpago, além de veículos com multas e IPVA atrasado.

No caso de carros 0Km, que ainda estão nas concessionárias, o chip será instalado no momento do emplacamento. Os donos dos automóveis já em circulação serão chamados, de acordo com os números finais das placas, para a colocação dos chips.

A previsão é de que, até 2011, o sistema funcione em todo o Brasil. Tecnologias semelhantes podem ser encontradas em Nova York, EUA; Londres, Inglaterra; e Estocolmo, Suécia.


Veja o vídeo:
CorreioWeb/Tv Brasília

Fonte: ClicaBrasília, Rede Globo e Jornal Local de 18/07/08

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Projeto pode ser interrompido



Acordar bem cedo e ir cuidar das plantas já é uma rotina quase que diária do aposentado Mário Ferreira dos Santos, de 70 anos. Em sua horta, que fica no terreno da 8ª Companhia Regional de Incêndio do Corpo de Bombeiro de Ceilândia, há quase de tudo: milho, feijão, verduras, frutas e legumes. Porém, nos últimos dois meses o trabalho do aposentado foi dificultado. A água que abastecia o sistema de irrigação da horta foi cortada. Hoje, para molhar as plantas, só com baldes e regadores. "Já perdi, todo o feijão por falta de água. E o milho não desenvolveu, não tem como molhar o milho com regador", reclama.

A horta comunitária faz parte do Programa Bombeiro Amigo para a Terceira Idade e atende aproximadamente 200 idosos, moradores de Ceilândia. No programa, além da Horta Terapia, eles participam de atividades lúdicas, ginásticas, alfabetização, aprendem a produzir artesanato com jornais usados, recebem dicas de primeiros-socorros e participam de palestras sobre temas ligados à saúde. Como seu Mário, cerca de 20 idosos que participam do programa estão sem água nas suas plantações. A horta foi criada há cerca de quatro anos como uma forma de terapia para os idosos que participam do projeto.

O corte no fornecimento foi uma determinação da própria companhia do Corpo de Bombeiro de Ceilândia, após receber uma notificação de uso indevido da água. Segundo informou a assessória da Caesb, a água que abastecia a horta era retirada de um hidrante que pertence a Companhia. A água do hidrante deveria ser usada apenas no abastecimento dos caminhões do Corpo de Bombeiro e em casos de emergência. Porém, depois que a Caesb realizou uma vistoria dentro da corporação, detectou que a água estava sendo usada, tanto para regar a horta como para lavar os carros. A corporação foi notificada e determinou o corte no fornecimento da água para o programa. A assessoria da Caesb informou que, na próxima semana, o hidrante que fica dentro da unidade será removido e colocado do lado de fora, na tentativa de evitar mais problemas.

Segundo a voluntária do programa, Rosimar Paz de Souza, o corte do fornecimento da água para horta foi uma surpresa, pois não foram avisados. Até mesmo o governador, José Roberto Arruda, em uma visita a corporação no mês passado, recebeu a reclamação da falta de água da horta comunitária. Segundo Rosimar, o governador prometeu resolver a situação, mas até hoje nada foi feito.

O Corpo de Bombeiros informou que não falta água para regar as plantas, pois todos os dias os caminhões do bombeiro abastecem as caixas de água que ficam no chão. Mas as pessoas reclamam que a horta que ficava o ano inteiro verde está morrendo aos poucos. Só uma senhora já chegou a colher duas sacas de feijão do canteiro que fica dentro da corporação.

A dona-de-casa Júlia Barreto dos Santos, disse que a horta ajudava, e muito, no sustento da sua casa. Além de abastecer a geladeira com batata, alface, cheiro verde e cenoura, ela doava para os vizinhos e até mesmo para instituições carentes. "A horta ajudava, pois não precisava comprar verduras e era uma terapia para todos. Todos nós estamos revoltados sem água para irrigação. Agora está mais difícil cuidar. Eu amava essa horta.", declarou.


Fonte: Tribuna do Brasil

Contra a violência

Foi lançada ontem (17/07/08), pelo Conselho dos Direitos da Mulher, a Rede Integrada de Combate a Violência Doméstica, com a participação do governador José Roberto Arruda. O programa vai beneficiar as vítimas de violência do DF, com atendimento especializado por meio da capacitação de agentes de órgãos públicos, civis, associações e ONGs.

A partir de agosto, serão capacitados ao todo, cerca de 1.400 servidores. Segundo o governador, o curso terá 240 horas/aula e será uma formação às pessoas. O recurso de R$ 1 milhão foi liberado pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. "O dinheiro será usado para modernizar a Casa Abrigo e na qualificação dos agentes, que atenderão aos casos", explicou Arruda.

Para a presidente do Conselho dos Direitos da Mulher, Mirta Brasil Fraga, o projeto é importante por possibilitar a integração entre os órgãos do GDF. "Com esta rede vamos conseguir combater esse problema. O atendimento especializado irá facilitar esse processo", disse a presidente. Segundo ela, a falta de informação e o despreparo das pessoas que lidam com os casos acovardam as vítimas. "Elas precisam denunciar os agressores, muitas nem sabem de seus direitos e também não sabem que existe a lei Maria da Penha", continuou.

A lei Maria da Penha, nº 11.340, de 07 de agosto de 2006, cria mecanismos para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher. E "toda mulher, independentemente de classe, raça, etnia, orientação sexual, renda, cultura, nível educacional, idade e religião, goza dos direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sendo-lhe asseguradas as oportunidades e facilidades para viver sem violência, preservar sua saúde física e mental e seu aperfeiçoamento moral, intelectual e social", dita parte da lei.

Atualmente, o DF conta com nove núcleos de atendimento em Samambaia, Ceilândia, Taguatinga, Gama, Paranoá, Santa Maria, Planaltina, Brazlândia e Plano Piloto. "O estado precisa dar assistência de forma correta, para que essas vítimas conheçam seus direitos e saibam como agir", disse Arruda. Ainda segundo ele, compete ao governo manter os olhos voltados para a cidadania de maneira harmônica.


Fonte: Tribuna do Brasil

Locais do vestibular 2008

A UnB (Universidade de Brasília) divulgou nesta sexta-feira (18) os locais de prova para o vestibular dos novos campi - Ceilândia, Gama e Planaltina.

É possível também realizar consulta individual no site do Cespe.

Veja o link da UOL aqui.

Os candidatos deverão chegar, no domingo (26), com uma hora de antecedência ao fechamento dos portões, agendado para as 13h, e apresentar documento de identidade original - não serão aceitas cópias autenticadas - e comprovante de inscrição, comprovante de pagamento da taxa de inscrição ou o boletim informativo.

Serão dois dias de prova: no primeiro (26), os candidatos responderão a 30 questões de espanhol, francês ou inglês, 120 de português, literatura, história e geografia e farão uma redação.

No segundo (27), haverá 150 questões de biologia, física, química e matemática.

Nos dois dias, os candidatos terão cinco horas para fazer a prova.

As respostas da prova deverão ser transcritas à caneta de tinta preta, com material transparente.

O resultado do vestibular está programado para 20 de agosto.

*As informações foram fornecidas pela instituição e podem ser alteradas por ela sem aviso prévio. É recomendável confirmar datas e horários no site oficial.


Fonte: UOL Vestibular e Cespe