sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Opinião: Manifesto Unb-Ceilândia

O dia 29 de outubro de 2008 entrou para a história do “recém-inaugurado” campus da UnB em Ceilândia. Cerca de 80 estudantes (1/3 do campus) pararam a Avenida Juscelino Kubitsheck (Hélio Prates), a principal de Ceilândia, para exigir aquilo que lhes é direito: condições básicas de ensino. Foi a primeira, espera-se que de muitas, mobilização dos estudantes desse campus. E isso porque ela foi esvaziada pela direção que, ao saber da manifestação, liberou mais cedo os estudantes do turno da manhã.

Como se sabe, as instalações físicas do campus estão previstas para ficar prontas em agosto de 2009. Até lá os estudantes deveriam estudar no Centro de Ensino Médio 04 (CEM 04 - Centrão). No entanto, os estudantes foram colocados no Núcleo de Práticas Jurídicas da UnB (NPJ), que fica em Ceilândia Centro e não possui as mínimas condições para que as aulas sejam ministradas. A justificativa era de que o CEM 04 estava em reformas e que em duas semanas ocorreria a mudança para o local. Criou-se então o “mito das duas semanas” que durou do início do semestre até o fim de outubro, quando os estudantes gritaram: BASTA! e ocuparam as ruas para exigir aquilo que é básico para os cursos de saúde: salas de aula, biblioteca e laboratórios.

Outro ponto importante é que o campus surgiu de um acordo entre o ex-reitor Timothy, deposto pelos estudantes em abril, e o Governo do Distrito Federal (GDF), por meio do Governador Arruda (DEM), aquele que violou o painel de votação do Senado e renunciou para não ser cassado. O interessante disso é que o CEM 04 já está reformado e só depende do GDF ligar a eletricidade do colégio para que as aulas sejam lá. Fica então a pergunta: porque o Governo Arruda, que coloca propagandas na TV dizendo que levou a UnB para a Ceilândia, não dá o mínimo de condições, como a eletricidade, para que o campus de fato funcione? Qual o interesse do governo em manter esses estudantes em um local sem a mínima condições para ser dada uma aula? É preciso lembrá-lo que a UnB é um direito, não um favor!

Alheios às vontades políticas do governador e enfrentado o esvaziamento provocado pela direção do campus, os estudantes se mobilizam e exigem aquilo que lhes é direito: educação pública e gratuita de qualidade e as condições para que isso ocorra. E é melhor que o GDF aja logo ou irá escutar bastante as palavras de ordem que foram entoadas nesse dia 29 de outubro pela primeira vez: “Sou estudante. Quero estudar! E o GDF não quer deixar!” Enfim, um dia que entra na história da UnB-Ceilândia e que deixa a certeza de que a mobilização continuará.


Fonte: blog Danilo Silvestre

Iluminado?

A ACIC fez inscrição junto a TV Record-DF no sentido de participar do concurso que a emissora irá promover para a escolha da cidade melhor iluminada no natal.

A associação aceitou o desafio e irá mobilizar a comunidade, empresários e administração de Ceilândia no sentido de proporcionar a população de um modo geral uma cidade mais humana e iluminada para o natal.


Fonte: ACIC-DF

Anistiados

Moradores de áreas de baixa renda que não pagaram Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de 2000 a 2006 terão a dívida perdoada pelo governo. O GDF enviou ontem (30/10) à Câmara Legislativa um projeto de lei que garante esse benefício a 200 mil contribuintes de diversas regiões carentes.

Em Ceilândia, serão beneficiados moradores das QNRs 01 a 05 e dos condomínios Pôr-do-Sol e Sol Nascente.


Fonte: Ceilândia.com e ACIC-DF

Lei de quiosques é aprovada

Após um ano e quatro meses de discussões entre governo, quiosqueiros e parlamentares, o Projeto de Lei que regulamenta os quiosques e trailers na capital foi aprovado ontem, por unanimidade, na Câmara Legislativa. Ao todo, são mais de 10 mil estabelecimentos em todo o DF.

De acordo com o projeto, para que sejam regularizados, os quiosques terão que atender a uma série de exigências. Entre determinações, não ultrapassar uma área de 15 metros quadrados no Plano Piloto e 60 metros nas cidades satélites. A definição de um tamanho padrão para os estabelecimentos foi um dos pontos que mais causaram dor de cabeça a todos. No projeto original, enviado pelo executivo, a área ocupada era de 20 metros, muito aquém da maioria dos estabelecimentos.

Para o líder da bancada governista na Casa, deputado Leonardo Prudente (DEM), a aprovação do projeto beneficia uma categoria que estava esquecida há 48 anos. "Foram três longos meses de construção do projeto. Podemos dizer que do texto inicial, apenas a vontade do governador em regularizar o setor foi mantida. Todo o resto foi melhorado", ressaltou.

O líder do PT, cabo Patrício, parabenizou a categoria e disse tratar-se de uma vitória histórica. Segundo o distrital, os estabelecimentos que tem área superior a 60 metros quadrados terão um prazo de 18 meses para se adequar às novas regras. "Eles precisam de um período de transição para fazer as mudanças necessárias dentro dos quiosques", explicou.

O representante dos quiosqueiros, Luiz Ribeiro, disse que na quarta-feira, foi feito um acordo com o governo que atendia a 80% da categoria. Segundo Ribeiro, o prazo dado para as modificações foi primordial. "O projeto contempla a categoria. Durante um ano e quatro meses trabalhamos para garantir a regularização, agora estamos tranqüilos", explicou.

A costureira Pedrina Valéria de Miranda tem um quiosque na 113 Sul há 17 anos. Segundo ela, toda a família sai ganhando. "Trabalho com meu filho, agora teremos segurança, além de mais espaço para atender nossos clientes. O que mais queremos é trabalhar dentro da Lei", concluiu.

O projeto foi aprovado pelos 23 deputados presentes na Casa. O único ausente foi Chico Leite do PT.




Os quiosques com mais de 60 metros quadrados terão uma ano e meio para se adequar. Os proprietários terão duas possibilidades: ou reduzem o espaço, ou adquirem, por meio de licitação junto a Terracap, a área excedente. Para isso será necessário um estudo para avaliar se a expansão pode continuar. Na próxima semana, parlamentares se reunirão com o presidente da Terracap para apresentar propostas acerca da venda das áreas.

Com relação a destinação do estabelecimento, ficará a cargo de cada administração analisar o tipo de tarefa que pode ser desempenhada pelo quiosqueiro.

Também está prevista uma rua da alimentação na quadra 17 do SIA, na qual os proprietários poderão adquirir novos pontos, expandindo seus negócios.


Fonte: Tribuna do Brasil, Jornal Coletivo e ClicaBrasília

Sem internet

A Brasil Telecom afirmou nesta sexta-feira (30/10) que o problema que impediu serviços de internet nesta quinta-feira (29/10) foi de responsabilidade da Companhia Energética de Brasília (CEB). A falha impediu o acesso à internet dos usuários da operadora em vários pontos do país desde às 15h30 desta quinta-feira (30/10). Diversos serviços de internet foram interrompidos pela pane. Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Acre e Rondônia foram atingidos. O problema também interrompeu o acesso de usuários domésticos de banda larga e acesso discado.

A Brasil Telecom afirmou, em nota, que alguns de seus serviços de comunicação de dados foram interrompidos durante cerca de uma hora e meia em virtude de incêndio em uma subestação da empresa fornecedora de energia elétrica, a CEB. Essa subestação está localizada no mesmo prédio de uma estação da Brasil Telecom, em Brasília. A empresa afirma que parte dos serviços, como o acesso à Internet, foram normalizados às 16h e que o restabelecimento total dos serviços foi efetivado no início da noite desta quinta-feira (30/11). Alguns serviços do site do Correio, no entanto, só foram completamente restabelecidos no início da manhã desta sexta-feira (31/10).

A Brasil Telecom afirma que, de acordo com avaliações iniciais, com a ocorrência na subestação da companhia de energia, o sistema de detecção de incêndio da Estação da BrT identificou um alto volume de fumaça e bloqueou o sistema de ar condicionado para evitar a propagação de fogo. Como conseqüência, ocorreu excesso de calor no ambiente, causando a paralisação dos equipamentos da Brasil Telecom. A empresa pediu desculpas aos clientes por eventuais transtornos.


Fonte: Correio Braziliense

Prazo acaba

O prazo para utilização do vale-transporte de papel termina nesta sexta-feira (31) para a maioria dos usuários do benefício no Distrito Federal. Os empregadores deverão fornecer o cartão vale-transporte eletrônico que vai substituir o passe de papel em circulação. O cartão vai trazer mais segurança aos passageiros devido à redução no volume de dinheiro dentro dos ônibus e dará ao GDF o controle exato da quantidade de passageiros.

“A implantação do vale-transporte eletrônico acaba com comércio ilegal do vale de papel, além de possibilitar uma leitura correta do sistema”, explica o secretário de Transportes, Alberto Fraga.

O cartão vale-transporte será entregue aos funcionários pelo empregador. A partir de amanhã (1º), somente serão aceitos os vales de papel dos servidores do GDF que ainda não receberam o cartão, até a data impressa que expira em 31 de novembro de 2008.

Os demais beneficiários que ainda possuem os vales de papel deverão efetuar a troca por crédito virtual através do seu empregador. Para efetuar a troca, a pessoa jurídica deverá comparecer à sede da Setransp, localizada no SIA Sul – Quadra 05 C – Lote 22 – Loja 210, com os vales-transporte vencidos em mãos. Após sete dias, receberão uma carta de crédito a qual deverá ser apresentada na sede do Fácil para aquisição dos mesmos. Os empregadores têm um prazo de 30 dias após o vencimento do vale-transporte para realizar a troca.

Mesmo com a implantação de todos os cartões, o usuário poderá pagar a passagem com dinheiro. O mesmo cartão pode ser utilizado também no metrô, onde foi instalado pelo menos um equipamento de leitura do cartão Fácil por estação. Atualmente, o sistema de transporte coletivo do DF reúne 13 empresas que operam em 850 linhas e transportam, em média, 22 milhões de passageiros por mês.

Cerca de 280 mil usuários têm o direito ao vale-transporte eletrônico. Para receber os cartões, as empresas devem acessar o site www.facildf.com.br, efetuar o cadastro de seus funcionários e, posteriormente, confirmar a entrega. Empresas com menos de 100 funcionários devem buscar os cartões na sede do Fácil portando a requisição do Vale-Transporte disponível no site. Essa requisição deverá conter o carimbo da empresa e ser impressa em papel timbrado. A sede da Fácil fica localizada no Setor de Diversões Sul (SDS), Bloco A Centro Comercial Boulevard, loja 1"A", 1º subsolo. O horário de funcionamento é de segunda à sexta-feira, das 8 horas às 17 horas.




O cartão vale-transporte poderá ser recarregado pela empresa via internet ou na própria agência Fácil. Se for pelo site, basta clicar no ícone Comprar Créditos e colocar o valor destinado a cada funcionário. Será emitido um boleto bancário que poderá ser pago em qualquer agência. Após a confirmação do pagamento pelo sistema Fácil, automaticamente todos os validadores receberão a informação dos novos créditos.

O cartão é do tipo smart-card sem contato. No embarque, basta aproximá-lo do equipamento validador, instalado no interior dos ônibus que, automaticamente, será creditado a nova recarga, liberando a catraca. A empresa administradora do sistema é a Fácil - Brasília Transporte Integrado.


Fonte: ClicaBrasília, Correio Braziliense e Band Cidade de 30/10/08

Carroceiros são fiscalizados

A Secretaria de Agricultura realiza nesta sexta-feira (31/10) uma fiscalização para identificar animais vítimas de maus-tratos em Ceilândia. A operação que conta com o apoio do Departamento de Trânsito (Detran-DF), da Polícia Ambiental e da Administração Regional da Ceilândia, começou por volta das 10h.

Pela manhã, a fiscalização abordou 10 carroceiros pelas ruas da cidade. Segundo Marco Antônio, veterinário da secretaria, quatro animais foram apreendidos por apresentarem características de maus-tratos. “Eles estavam com ferimentos e muito magros, sendo que um deles estava com a pata bem machucada”, afirmou o veterinário.

De acordo com Elias Rocha, assessor de Gerência de Planejamentos da Coordenadoria das Cidades, os animais apreendidos não são devolvidos e os proprietários ainda respondem por crime de maus-tratos. No entanto, ele aponta que objetivo da fiscalização é mais educativa. “Verificamos os animais que estejam sem documentos. Nesses casos, os carroceiros recebem uma advertência e são convidados para realizar o cadastro na Administração”, disse.

O animal para ser cadastrado não pode ter nenhuma doença. “No momento da avaliação é feito uma coleta de sangue. Se for diagnosticada anemia infecciosa eqüina, o animal tem que ser sacrificado”, explicou o veterinário. Ceilândia tem cerca de 450 carroceiros cadastrados.


Fonte: Correio Braziliense

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Imagem: xadrez na veia


Uma escola pública de Ceilândia conseguiu destaque pelo seu incentivo ao esporte. Maicon Almeida de Oliveira, 15 anos, aluno do Centro de Ensino Fundamental 16 de Ceilândia Norte, logrou o primeiro lugar no Campeonato Brasiliense de Xadrez.

No dia 10 de novembro, ele embarca para João Pessoa (PB), para representar a cidade no Campeonato Brasileiro de Xadrez. Otimista, o ceilandense acredita que poderá subir ao pódio novamente.




Veja outros projetos apresentados pelo CEF 16 clicando no link da fonte.

Fonte: Administração Regional de Ceilândia

Foi lembrada

A judoca Ceilandense Ketleyn Quadros, que conquistou medalha de bronze nas Olimpíadas 2008, foi homenageada pela CLDF pelo dia do Judô.

Fonte: ACIC-DF

Oficinas em escola

Os moradores de Ceilândia têm a oportunidade de participar de oficinas e praticar esportes no Centro de Ensino Fundamental 14. Desde agosto deste ano, a escola realiza atividades com esporte, cultura, lazer e profissionalismo. As oficinas são realizadas aos sábados, das 8h às 18h, e um dos espaços utilizados é o galpão próximo à escola, cedido pela Administração Regional da cidade. O local também é utilizado durante a semana para projetos desenvolvidos pela própria unidade de ensino.

Passam pela escola aproximadamente 200 pessoas entre sete e 40 anos, no intuito de praticar esportes como vôlei, futsal, tênis de mesa, capoeira, além de oficinas de informática, teatro, arte em biscuit, manicure, serigrafia, grafite, espanhol e danças. Os monitores são pessoas da comunidade que apresentam talento em determinada atividade.

O programa Escola Aberta do Distrito Federal, conveniado com o Ministério da Educação (MEC), se estende por todo Brasil. Todas as escolas da rede pública que participaram da prova de avaliação, realizada pelo MEC, e que obtiveram baixo rendimento escolar, foram designadas a realizar atividades nas escolas para incentivar os alunos.

De acordo com a diretora do CEF 14, Josefa Soares Silveira, o objetivo é trazer os jovens para as escolas, para que não tenham a chance de se marginalizarem. As inscrições podem ser feitas aos sábados, no CEF 14. Mais informações pelo telefone 3901-6883 ou pelo e-mail escolaabertadodf@yahoo.com.br .


Fonte: Administração Regional de Ceilândia

Acusada nega

A professora acusada de incentivar a agressão contra uma criança de cinco anos na Escola Classe nº 56, na Expansão do Setor O, prestou nesta quinta-feira (30/10) os primeiros esclarecimentos oficiais sobre o episódio. Em depoimento na Regional de Ensino de Ceilândia, a docente Elizabeth Barros refutou a versão apresentada pela mãe da criança. Ela alegou que o fato resumiu-se a uma “separação de briga”. Segundo ela, a criança estava agitada e havia iniciado uma simulação de luta com o restante dos colegas. Ao tentar apartar as agressões, uma das crianças teria aproveitado o momento e dado um tapa no colega. Ela admitiu ter imobilizado a criança, mas negou que tenha ordenado a agressão.

O episódio ocorreu por volta das 10h30 da última terça-feira (28/10) logo após as crianças retornarem da atividade física. A professora relatou que o lanche já havia sido servido e organizava uma fila para levar os 28 estudantes ao banheiro. “O tumulto aconteceu na hora da fila. Quando percebi, ele estava de costas batendo no resto do grupo. Fui segurá-lo. Nesse momento, um dos colegas bateu no rosto dele”, conta a professora.

Sobre a demora em comunicar o fato à direção, Elizabeth alegou que preferiu evitar fazer um novo registro no livro de ocorrência da escola. Segundo ela, o menino é o maior e mais forte da sala e já havia se envolvido em outras brigas. “Tentei preservar ele, pois sabia que se fizesse o comunicado ele seria suspenso”, justificou. Um grupo de psicólogos deverá acompanhar a turma durante os próximos dias para evitar novos desentendimentos.



Procurado pela reportagem do CorreioBraziliense.com.br, o secretário de Educação, José Luiz Valente, avaliou com cautela o episódio. Segundo ele, somente a sindicância poderá tirar a conclusão final sobre a briga. No entanto, argumenta que foi correto cancelar o contrato da professora. “A medida preserva tanto a escola como a acusada. Agora, é complicado saber quem está falando a verdade. É a palavra de um contra a palavra de outro”, avaliou.

O processo instaurado na Regional de Ensino também deverá ouvir os outros pais que sustentaram a versão apresentada pela mãe da criança. Três famílias haviam sido procuradas e mantiveram a versão que acusa a professora. Além da sindicância, corre também um inquérito na 24ª Delegacia de Polícia (Setor O). A docente é investigada por maus tratos a criança. Caso condenada, poderá pegar até dois anos de detenção.




Manual do professor

A Secretaria de Educação resolveu antecipar o lançamento de um manual de conduta dos alunos e professores após a divulgação do episódio. A iniciativa busca fornecer orientações sobre como proceder quando ocorrerem situações de violência no contexto escolar e apresentar propostas de ações pedagógicas para prevenir a violência nas escolas. O lançamento ocorre nesta tarde, às 17h, na sede do governo, em Taguatinga.


Fonte: Correio Braziliense, Rede Globo e ClicaBrasília

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Agressão em escola

Um aluno de cinco anos do ensino básico da Escola Classe 56 de Ceilândia, cidade a 30 km de Brasília, sofreu agressão dos colegas de classe com o apoio da professora. A mãe do aluno, a servidora pública Rejane Vieira Urani, 36 anos, registrou ocorrência hoje de manhã na 24ª Delegacia de Polícia. Segundo ela, a criança relatou que, após uma briga, a professora Elizabeth Barros teria tomado partido e colocado os próprios colegas para aplicarem um corretivo no aluno. A professora admitiu perante a mãe e a direção da escola ter perdido o controle da situação .

A Regional de Ensino de Ceilândia suspendeu o contrato temporário com a profissional e instaurou um processo administrativo. O delegado que acompanha o caso, Vivaldo Neres, detalhou a ocorrência.

– Segundo o registro da mãe, a criança teria brigado com um grupo de colegas e a professora segurou seus braços para trás, pediu que os envolvidos fizessem um círculo em volta dela e cada um deu um tapa no rosto do colega. Vamos escutar a versão da professora, a direção e a coordenação da escola – comentou o delegado.




O caso ocorreu na segunda-feira pela manhã e a mãe da criança procurou explicações na escola no dia seguinte. A professora foi chamada pela direção e, para surpresa de todos, admitiu ter segurado o aluno após a briga para que os outros pudessem atacá-lo, segundo contou a diretora da Regional de Ensino de Ceilândia, Ana de Fátima Dias.

A Regional de Ensino da Ceilândia enviará um relatório ao Conselho Tutelar para acompanhar a família. A turma também deverá receber acompanhamento psicológico.


Fonte: JB Online, Rede Globo, ClicaBrasília e Jornal Local de 29/10/08

Reforma em escola

Mais uma escola reformada e ampliada foi entregue nesta quarta-feira (29) pelo GDF. Os 363 alunos da Escola Classe Incra 9, em Ceilândia, ganharam uma quadra poliesportiva para a prática de educação física, móveis e banheiros novos. A escola também tem mais quatro salas de aula, além de salas de vídeo, múltiplas funções, leitura e artes.

Segundo o secretário de Educação, José Luiz Valente, o governo investiu R$ 1,2 milhão na reforma de 1260 metros quadrados. “A minha expectativa é de que a escola possa atender também ao ensino médio em 2009 ”, disse o secretário.

Com a revitalização, a escola foi adaptada para atender com dificuldades de locomoção, com a construção de rampas e banheiros especiais. Para a orientadora educacional Kely Cristina Ferreira, a inclusão social foi o grande ganho para a escola. “Pelo fato da nossa escola já ter uma turma de educação especial, a adaptação se fazia fundamental. Trabalhamos com alunos portadores de deficiências mentais leves e agora já podemos receber alunos portadores de deficiências físicas”, afirmou.

O governador em exercício, Paulo Octávio, fez uma avaliação da pasta nos dois últimos anos de governo. “A área da educação é prioridade absoluta não só com referência a escolha dos diretores, a reforma das escolas, o projeto de escola em tempo integral, mas queremos adequar todas as escolas a exemplo dessa que passou por uma reestruturação”, disse Paulo Octávio.

A Escola Classe Incra 9 atende ao ensino fundamental, educação especial, e ao programa da Fundação Roberto Marinho de Correção de Fluxo, que corresponde a antiga aceleração, destinada a alunos que estão atrasados.


Fonte: ClicaBrasília e ComuniWeb

Vídeo: do poste

O vídeo a seguir mostra o erro que foi cometido ao se executar a construção de uma rua e acabaram deixando um poste no meio do trânsito. O problema é constatado na QNM 12 em Ceilândia Norte.

CorreioWeb / Tv Brasília

Fonte: Jornal Coletivo de 29/10/08

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Imagem: deu bobeira



Um tamanduá mirim foi encontrado na Área de Desenvolvimento Econômico (ADE) Centro-Norte no setor P Sul.

A Companhia de Polícia Ambiental chegou ao galpão somente às 13h15. O animal não apresentou dificuldades para ser capturado. Ele ainda deverá passar por uma avaliação médica e ser libertado na Floresta Nacional.

Fonte: Correio Braziliense, Rede Globo e Rede Record

Vídeo: câmeras em coletivos

O vídeo a seguir mostra a possibilidade de instalação de câmeras de vigilância em ônibus públicos. Assita!

CorreioWeb / Tv Brasília

Fonte: Jornal Local de 28/10/08

Violência nas escolas

A escola do Lago Oeste recebeu o nome de Carlos Ramos Mota. Uma homenagem ao diretor que combatia o tráfico de drogas e foi assassinado esse ano. Do lado de fora, um posto da Polícia Militar. Dentro, câmeras de segurança, que não funcionam há um mês. Medidas para tentar combater a violência no local.

“Roubavam dinheiro, bonés, camisetas... essas coisas assim que os alunos deixavam na sala de aula. Nunca era da sala do aluno, sempre de outras turmas. Colar, celular... coisas de muito valor”, diz um aluno.

Histórias como essas foram contadas por alunos de vários colégios do Distrito Federal em uma pesquisa divulgada pela Secretaria de Educação. O estudo foi realizado entre junho e setembro, com professores e estudantes dos ensinos fundamental e médio. Eles tiveram que responder um questionário. Mas alguns resultados chamam atenção.

Ao todo, 45% dos entrevistados já sofreram xingamentos, 26% dos professores e 24% dos alunos já foram ameaçados na escola. Quase 28% dos alunos e 16% dos professores sofreram furtos ou roubos. Cerca de 15% dos alunos e 7% dos professores disseram que já sofreram agressão física.

Com o resultado da pesquisa, a Secretaria de Educação elaborou uma cartilha para orientar as escolas no combate e prevenção à violência. São 15 mil exemplares preparados para distribuição na rede pública de ensino.

A cartilha é uma parte do projeto que a Secretaria quer adotar nas escolas. “Além desse manual, que foi organizado em capítulos, com perguntas e respostas, haverá um curso para os gestores, principalmente orientadores educacionais. É a possibilidade de aumentar, ainda mais, os conselhos de segurança escolar comunitários. A integração entre a Secretaria de Educação e a Secretaria de Segurança Pública”, defende a secretária adjunta de Educação, Eunice Santos.

Mas o Sindicato dos Professores reclama da falta de policiamento e de mais atividades nas escolas. “É importante que o governo faça a cartilha, mas também que retome os projetos que foram fechados. Como a presença do Batalhão Escolar ao redor das escolas e, principalmente, que se invista mais em esporte, cultura, lazer e na melhoria das condições de trabalho do professor”, argumenta o diretor do Sinpro, Washington Dourado.

A Polícia Militar informou que o policiamento é feito regularmente nas escolas que têm problemas. Além disso, que faz rondas em todos os colégios. O comando do batalhão também visita os diretores de escolas.



Veja o vídeo: CorreioWeb / Tv Brasília

Fonte: Rede Globo, Correio Braziliense aqui e aqui, Jornal Local e Rede Record de 28/10/08

Quente

Nesta terça-feira (28) foi registrada, às 16h, a temperatura mais alta de todos os tempos no Distrito Federal: 35,8º, com umidade de 14%. A recordista anterior foi registrada em outubro de 1963, quando os termômetros marcaram 34,4º.

Ontem já era considerado o segundo dia mais quente do ano, perdendo apenas para 17 de outubro. A meteorologia avisa que amanhã poderá chover rapidamente em pontos isolados e na próxima quinta ou sexta-feira a previsão é de chuva em todo o Centro-Oeste.



Só este mês a capital registrou o primeiro e terceiro dias mais quentes desde 1961. A terceira marca foi registrada na segunda-feira, 33,8º C.

De acordo com a Secretaria de Educação, a orientação para esse período de calor intenso é que as aulas de Educação Física nas escolas da rede pública de ensino não aconteçam em ambientes abertos, para evitar a exposição excessiva ao sol. A mesma recomendação é dada pela Defesa Civil a toda a população: os exercícios devem ser limitados e deve-se ingerir, pelo menos, dois litros de líquido ao dia.


Fonte: ClicaBrasília e Correio Braziliense

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Vídeo: onde foi parar a iluminação?

O vídeo a seguir mostra o problema de falta de iluminação que atinge moradores e comerciantes do setor P Sul, próximo a quadra QNP 28. Com medo, os lojistas tem que se virar para não serem pegos de surpresa pela bandidagem; muitas das lojas fecham antes de anoitecer para evitar os assaltos.

Eles reclamam que pagam a taxa de iluminação pública mas não utilizam o serviço e que o pedido de ligação da rede pública já foi solicitado, mas nada realizado. Veja:

CorreioWeb / Tv Brasília

Fonte: Jornal Local de 27/10/08

Via perigosa

A pista próximo a QNO 16, na Expansão do Setor O, é uma das pistas mais perigosas da cidade. Funcionando em mão-dupla, a via não tem passarela, a faixa de pedestres não é respeitada e buracos já causaram diversos acidentes - um homem morreu recentemente devido a um destes obstáculos.

Segundo os moradores, a construção de uma passarela ou um semáforo e até mesmo a duplicação da via poderiam resolver o problema. O administrador de Ceilândia, Leonardo Moreas, acredita que melhorias devem ser feitas na avenida até o final do ano - a duplicação seria a mais provável.

Até lá os moradores terão que conviver com os diversos acidentes, perseguições e desrespeitos que foram comprovados pela reportagem da Rede Record.

Fonte: Rede Record de 27/10/08

Construção é iniciada

Nesta segunda-feira (27/10), foram iniciadas as obras de urbanização da QNP 22, única quadra de Ceilândia que ainda não era asfaltada. Serão investidos R$ 1,8 milhão em drenagem de águas pluviais, meios-fios, pavimentação e sinalização. A previsão é de que os trabalhos sejam concluídos até fevereiro de 2009.

Fonte: Ceilândia.com,Jornal Coletivo e Correio Braziliense

sábado, 25 de outubro de 2008

Solicitação será estudada

Os moradores do P Sul continuam aguardando a instalação da agência dos Correios que foi fechada. Veja o que deu na mídia:



“Telefonei e me atenderam bem. Me mandaram uma resposta dizendo que iam providenciar uma agência o mais perto possível. Mas essa agência não chega nunca”, conta a aposentada Nélia Ermelinda, moradora do P Sul.

A assessoria de imprensa dos Correios informou que reconhece a necessidade de levar uma agência para o local, mas ainda não conseguiu encontrar um imóvel adequado, que esteja com a documentação em dia para ser alugado.

“Com a quantidade de moradores que temos aqui, acho que temos direito de ter uma agência dos Correios”, enfatiza a aposentada.

Em nota, os Correios disseram que, além do imóvel, é preciso orçamento para instalar a agência. No mês que vem, a diretoria regional vai redimensionar a rede de atendimento e o setor P Sul vai ser considerado nesse trabalho.

Outro lugar também em Ceilândia que precisa de atendimento postal é o Setor O.




Veja o vídeo do CorreioWeb / Tv Brasília.

Fonte: Rede Globo de 25/10/08 e Jornal Local de 24/10/08

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Imagem: exemplo em planejamento



Segundo o autor da foto, Edilson Barbosa, este poste está desde a conclusão das obras de asfaltamento na QNM 12 em Ceilândia Norte. É bem perceptível que está para acontecer um grave acidente a qualquer momento na localidade, pois ele fica bem na entrada de uma via muito movimentada da região, próximo ao Na Hora e ao lado do centro de Ceilândia.


Fonte: Conversa Globalizada - a imagem exibida se encontra no fotolog de Edilson Barbosa

Sem correios

Cerca de 180 moradores se reuniram nesta sexta-feira (24/10) em frente à QNP 18, Conjunto L, no Setor P Sul, em Ceilândia, para reivindicar a instalação de uma agência dos Correios e Telégrafos na região. Segundo o presidente da Associação Comunitária Interagir do P Sul, Fernando de Freitas, há oito anos o local está sem um posto. “Tínhamos uma sede aqui, mas foi retirada”, reclama.

Em dois meses, os moradores já recolheram sete mil assinaturas em um abaixo assinado. No entanto, a associação afirma que não consegue marcar reunião com a diretoria regional dos Correios. “A Ceilândia é a maior e mais populosa cidade do Distrito Federal. Como podemos ter apenas dois postos?”, protesta Freitas, em referência ao fato de Taguatinga ter oito agências.

Segundo o presidente da associação, toda a vez que os cerca de 150 mil habitantes do Setor P. Sul, Condomínio Sol Nascente e Por do Sol precisam de um atendimento, ele têm que se deslocar até Ceilândia Centro para usufruir dos serviços. “Na época da prova do Enem, por exemplo, quase três mil alunos do ensino médio do P. Sul tiveram que ir até lá para fazer a inscrição. Além do transtorno que é para recebermos encomendas”, relembra.

Uma comissão com dez moradores foi formada para tentar a negociação da volta de uma agência para o local. “Há dois meses tentamos e não conseguimos. Esperamos que após essa manifestação alguém nos atenda”. A expectativa da associação é que na próxima semana seja marcada uma audiência com a diretoria regional dos Correios. Em nota, a empresa informou que irá fazer uma análise da região para estudar a possível construção de uma nova agência no local.





É um vexame que uma cidade com mais de 400 mil habitantes tenha apenas duas agências dos Correios para o atendimento de sua população. Não é a toa que a maioria de pontos de diversão estão concentrados na "ilha" do Plano Piloto.

Também não é de hoje que sabemos que as coisas aqui no Distrito Federal funcionam às avessas...


Fonte: Correio Braziliense e ACIC-DF

Realocação

A Subsecretaria de Defesa do Solo e da Água (Sudesa) coordenou uma ação da Força Tarefa, nesta sexta-feira (24) no Setor "O", em Ceilândia. A operação realocou 7 famílias contempladas pelo Programa Habitacional do Distrito Federal. As famílias foram removidas dos fundos do conjunto "O" da QNO 06, e transferidas para os diversos lotes dos conjuntos "O" e "M".

Aproximadamente 100 pessoas estiveram envolvidas na realocação que, além dos agentes da Sudesa, contou com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda, Companhia Habitacional do Distrito Federal, Agência de Fiscalização, Terracap, Novacap, CEB, Caesb, Polícia Militar e Vara da Infância e da Juventude.


Fonte: Clica Brasília e Correio Braziliense

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Cidade desarborizada

Ceilândia é uma cidade nua. A ausência de vegetação tem efeitos diretos sobre a umidade e a qualidade do ar, provocando doenças respiratórias. A falta de árvores que produzam sombra e sirvam de filtros naturais para a luminosidade excessiva potencializa os efeitos nocivos dos raios solares, aumentando os riscos de ocorrência de câncer de pele e de problemas oculares sérios, como a catarata.

Infelizmente há quem pense que a cidade não precisa de praças e parques. São pessoas que consideram positiva a ocupação dos becos com moradias, e até defendem a derrubada de árvores para a construção de mais vagas de estacionamentos, como está acontecendo agora no Setor P Sul.

...



Leia mais e fique por dentro (link da fonte).

Fonte: Ceilândia.com

Imagem: o poder do grafite



O poder que o grafite traz a uma escola, antes pichada, é simplesmente fenomenal! O trabalho é realizado pela ONG "DF Zulu Breakers" e o colégio em questão é a Escola Classe 19 de Ceilândia Sul.

Transformação do ambiente, de vidas...

Fonte: Correio Braziliense de 22/10/08

Diga aê: E o aumento de passagens de microônibus e metrô?

"As coisa devem ser como no meu trabalho: se quero pedir aumento ao chefe, tenho de mostrar serviço. Não há razão para subir o preço. Os ônibus são ruins, quebram. O metrô está sempre lotado".
João Bandeira
30 anos


"Vou de metrô para o Plano Piloto porque é mais barato. Depois pego ônibus para chegar ao serviço. Se aumentarem a passagem como estão pensando em fazer, via pesar no fim do mês".
Diogo dos Santos
21 anos


"A gente espera um tempão nas paradas, demora, os veículos estão velhos. No caso do metrô, até seria aceitável uma pequena subida de preço. Mas R$ 1,00 é demais, faz muita diferença".
Jozias Bezerra
59 anos

Fonte: Correio Braziliense de 22/10/08

Computadores doados

Mais 50 escolas públicas do Distrito Federal passarão a contar com laboratórios de informática. Cada unidade de ensino receberá 10 computadores do Tribunal Superior do Trabalho (TST), doados por meio do projeto TST Solidário de Inclusão Digital. Nesta quinta-feira (23), o governador José Roberto Arruda recebeu do ministro Rider Nogueira de Brito, presidente do TST, o lote de 500 máquinas. A doação eleva para 345 o número de escolas da rede pública equipadas com laboratórios de informática. A expectativa é de que 30 mil estudantes sejam beneficiados com a iniciativa. As escolas contempladas foram escolhidas por meio do voto direto em eleição realizada entre os servidores do tribunal.

“Nenhum país do mundo progrediu sem investir em educação. É o ensino público de qualidade que promoverá a igualdade social no Brasil”, disse Rider de Brito. “Hoje aqui está sendo dado ao país um exemplo de sensibilidade e responsabilidade social”, emendou o governador. “A vida dessas escolas vai mudar. Os alunos terão um componente motivacional na sua capacidade de aprendizagem”, completou Arruda.

“É um presente que não tem preço” avaliou o secretário de Educação, José Luiz Valente. Aluno da 8ª série do Centro de Ensino Fundamental 05 de Taguatinga Sul, Fábio Werley Monteiro dos Santos, 14 anos, vibrou com a notícia de que sua escola receberá computadores. “Vou poder pesquisar sem sair da escola e ainda economizar energia na minha casa”, comemora. Embora obsoletos para o TST, os computadores doados aos GDF estão em plena vida útil. “São equipamentos bons, potentes, com processador e memória satisfatórios”, informou o coordenador de Informática do TST, Marcelo Lacerda.

Criado em junho deste ano, o programa TST Solidário deu novo destino às máquinas em desuso no tribunal. O foco das doações passou a ser a rede pública de ensino do DF e a Escola Classe 2 do Guará foi a primeira a receber o conjunto de máquinas. Até então a doação de computadores era feita de acordo com a solicitação de entidades interessadas, dentro dos parâmetros previstos nas normas da administração pública.

O secretário de Ciência e Tecnologia, Izalci Lucas, diretores de escolas e de regionais de ensino, além de estudantes representando as escolas beneficiadas participaram da solenidade no TST. Foram contempladas unidades de ensino de Brazlândia, Santa Maria, Sobradinho, Ceilândia, Taguatinga, Planaltina, Samambaia, Candangolândia, Riacho Fundo, Gama, Cruzeiro, Guará e Plano Piloto.


Oito escolas públicas em Ceilândia passarão a contar com os laboratórios de informática. Cada unidade de ensino receberá 10 computadores do TST. Serão beneficiadas as Escolas Classe 01, 15, 18, 25, 46 e 56 e os Centros de Ensino Fundamental 12 e 16.


Fonte: ClicaBrasília e Ceilândia.com

Vídeo: cartel?

Veja o reportagem que mostra o possível crime de cartel praticado por postos de combustíveis do DF.

CorreioWeb / Tv Brasília


Leia mais aqui.

Fonte: Jornal Local e Rede Globo de 22/10/08

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Imagem: do Piauí



O governador José Roberto Arruda sancionou ontem a lei que inclui a festa "O Piauí é aqui, no coração do Brasil" no calendário oficial de eventos do DF. A comemoração acontecerá sempre no dia 19 de outubro para celebrar, na capital federal, o aniversário do estado nordestino. Durante a sessão solene que marcou a sanção da lei, no auditório do SESC de Ceilândia, Arruda recebeu das mãos do governador do Piauí, Wellington Dias, a Medalha do Mérito Renascença, maior comenda do estado. Outras autoridades também receberam a homenagem, como os ministros da Defesa, Nelson Jobim, e da Pesca, Altemir Gregolin, e o secretário Especial dos Direitos Humanos, Paulo Vannuchi. O governador do Piauí recebeu ainda o título de Cidadão Honorário de Brasília.

A lei que inclui a comemoração do aniversário do Piauí - que este ano completou 186 anos - no calendário do DF foi proposta pelo deputado Milton Barbosa, nascido em Canto do Buriti, e ganhou o apoio dos distritais conterrâneos Alírio Neto, Raimundo Ribeiro e Cristiano Araújo. Segundo eles, 21% da atual população do DF é formada por pessoas vindas do Piauí e seus descendentes. "Esta lei reconhece a contribuição que o piauiense deu na construção de Brasília, na época da terra vermelha, e homenageia pessoas humildes, anônimas, que trabalham para fazer nossa cidade acontecer no dia-a-dia", disse Arruda.


Fonte: Jornal Luzilândia e Tribuna do Brasil

Nascentes mais que ameaçadas

Das 300 cabeceiras de córregos e rios do DF cadastradas pelo Ibram, apenas 162 são monitoradas. Dessas, só 47 estão intactas e 51 sofrem graves ameaças ambientais, como desmatamento, lixo e esgotoA copa formada pelas folhas da palmeira faz sombra para casas erguidas no Condomínio Sol Nascente, em Ceilândia.

O tronco da árvore, às vezes, chega a sustentar barracos de madeira construídos sobre um solo de vereda, uma região de recarga do lençol freático onde a terra é encharcada e cheia de olhos d’água.
A árvore que serve de pilastra de apoio para as residências é um buriti, espécie típica do cerrado que denuncia a presença de água nos arredores. Para especialistas, basta visualizar um buriti para saber que há nascentes ou córregos por perto. Em Ceilândia, porém, a riqueza natural foi devastada pela ocupação irregular: as nascentes foram aterradas para a construção das casas, onde atualmente vivem cerca de 70 mil pessoas.




A água que brota no meio do condomínio corre para o ribeirão Melchior, um dos afluentes do Rio Descoberto, responsável pelo abastecimento de 65% da população do Distrito Federal. O manancial é um dos 93 com graves problemas ambientais, como publicou ontem o Correio. A reportagem de hoje mostra que a degradação dos córregos, na maior parte das vezes, começa ainda na nascente, a quilômetros de distância das margens, como ocorre com o Melchior.

O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) estima que existam mais de mil nascentes espalhadas pelo DF, mas não sabe sequer a localização de 700 delas. Apenas 300 constam no cadastro do instituto e só 162 são constantemente monitoradas porque participam do programa Adote uma nascente. Mesmo entre as adotadas, há aquelas em situação precária. De acordo com o Ibram, somente 47 nascentes - 29% do total - estão praticamente intactas, ou seja, têm mais de 70% da cobertura vegetal que as protege.

Não possuir cobertura vegetal significa não ter árvores típicas plantadas ao redor, o que serve de proteção para um curso d’água. Sem as plantas, terra, folhas soltas e sujeira são arrastados pela chuva para dentro da água, causando assoreamento e erosão. Os dados do Ibram mostram que 51 nascentes têm menos de 30% da cobertura vegetal e, por isso, estão gravemente ameaçadas. “Além de estarem desmatadas, elas recebem lixo e até esgoto. A cobertura vegetal não existe mais por causa da ocupação irregular do solo”, lamenta a bióloga Vandete Inês Maldaner, coordenadora do programa Adote uma nascente.

É o que acontece na nascente do Córrego Urubu, que também está degradado. A água que forma o manancial brota perto do Varjão. Uma das nascentes fica na Quadra 5 e sofre com a ocupação urbana. Em abril deste ano, técnicos da Sudesa fizeram uma vistoria no local e a nascente estava cheia d’água. Agora, porém, terra, folhas secas, lixo e entulho tomam o lugar da água. “A nascente é intermitente, a vazão diminui mesmo na época da seca. Mas ela está muito aterrada e ameaçada de ser extinta”, explica a engenheira florestal Ester Martins, técnica da Subsecretaria de Defesa do Solo e da Água.

O Ibram contratou empresas de consultoria para mapear todas as nascentes do DF, mas ainda não há prazos para o trabalho ser concluído. Por enquanto, o que se sabe é que as nascentes em área rural estão mais conservadas e são maioria entre as adotadas: 110 delas estão em fazendas ou unidades de conservação ambiental.




“No meio urbano, a nascente é vista como um impedimento para o crescimento da cidade e é simplesmente ignorada. Já no meio rural, os produtores valorizam a presença da água e as nascentes, de uma forma geral, estão protegidas”, observa a coordenadora do Adote uma nascente.

A legislação ambiental brasileira classifica uma área de 50 metros ao redor das nascentes como Área de Preservação Permanente (APP) e proíbe qualquer construção nesse raio. Mas a lei é ignorada no DF. No Condomínio Sol Nascente, por exemplo, as casas estão em cima de olhos d’água, e aqueles que ainda não foram aterrados têm dificuldade para se manter cheios. Em um deles, é até possível ver a água correndo, mas impossível identificar o ponto exato onde ela brota porque a nascente está completamente tampada por mato e lixo. Até um sofá foi jogado no local.

Os moradores que construíram na cabeceira nem sequer sabem que ameaçam o meio ambiente. “Tem pouca água assim o ano inteiro. É uma captação que a Caesb tem lá em cima”, diz um senhor que não quis se identificar. Além de desconhecer que ocupa uma APP, o morador ignora os riscos. A casa dele foi erguida nas margens da nascente, onde uma enorme erosão se formou, e fica à beira de um barranco. O muro está torto e ameaça desabar a qualquer momento. Além disso, as casas estão sujeitas a inundações porque o solo tem pouca capacidade de absorver a água da chuva por já ser bastante irrigado.




Veja o vídeo: CorreioWeb / Tv Brasília

Fonte: Correio Braziliense de 21/10/08, Portal EcoDebate, S.O.S. Rios do Brasil, e Jornal Local de 21/10/08

Temporariamente fechado

Entre amanhã (23/10) e sábado (25/10), a unidade Ceilândia do Serviço de Atendimento Imediato ao Cidadão, o Na Hora, situada na QNM 12, Via NM 12ª, Lote 18/20, estará fechada para realização de reformas na infra-estrutura e para a troca de todo o parque tecnológico, com o objetivo de oferecer melhores condições de trabalho aos servidores, bem como um atendimento mais ágil e eficaz à população.

Fonte: Jornal Coletivo

terça-feira, 21 de outubro de 2008

100% Wireless

Trecho de reportagem que fala a respeito de um projeto governamental de acesso gratuito à internet através da tecnologia de transmissão de dados "wireless" - semelhante a conexão de internet comum (ADSL), mas sem a utilização de cabos.



Na primeira etapa, serão instaladas as conexões até 256 KBPS nos principais bairros de Brasília e em Taguatinga, integrando serviços de segurança pública e educação (vídeo monitoramento) e acesso público a internet. Segundo a Secretaria de Ciência e Tecnologia, essa primeira fase pode ser facilmente concluída em, no máximo seis meses, e a idéia é atender entre 700 mil a um milhão de pessoas com o serviço wireless entre as duas cidade e ligar os dois principais órgãos do GDF: o Buriti e o "Buritinga".

"O projeto hoje está preparado para envolver todo o Distrito Federal, e pode ser iniciado em qualquer lugar. A vantagem de ter início no Plano Pilo e em Taguatinga é a de envolver praticamente todos os órgãos do governo, além da população que é muito concentrada nestas regiões", diz o secretário Izalci Lucas.

O "Brasília 100% Wireless" irá custar R$ 80 milhões, de acordo com o projeto atual, e pretende atender diversas instituições, dentre elas, 614 escolas, 46 telecentro, 86 administrações e 93 postos de saúde.




Antigamente a ex-governadora, Maria de Lourdes Abadia, havia dado o pontapé inicial para um projeto semelhante a este. O "Internet para todos" previa instalação de internet gratuita para cidades do DF e seria iniciado primeiramente pela Região Administrativa de Ceilândia.

Nada aconteceu e, pelo visto, vai demorar mais um longo e bom tempo para que algo aconteça...

Fonte: Jornal de Brasília de 21/10/08

Portal Ceilândia Shopping

Seria o de Ceilândia mesmo?


Consumidores ceilandenses, a partir de 1º de novembro entrará no ar o maior site de E-commerce (Comércio Eletrônico) do DF: O Portal Ceilândia Shopping (http://www.ceilandiashopping.com/).

Com a finalidade de valorização do comércio local e venda ao consumidor via Internet, o portal foi elaborado para todos os comerciantes de Ceilândia e comportará, inclusive, salas de cinema com transmissão 24h (?????).


Fonte: ACIC-DF

Conjunto antigo e sem asfalto


Quem passa pelo conjunto 35 da QNO 19 da Expansão do Setor 'O', não reconhece o local como uma rua residencial. O calçamento da via foi levado pela força da enxurrada, e há três anos os moradores pedem a pavimentação do trecho. Para alívio da comunidade, o administrador da cidade, Leonardo Moraes, garantiu que a rua será asfaltada ainda este mês.

Segundo os moradores, tanto o conjunto, como toda a expansão do Setor 'O', eram calçados com bloquetes de concreto. Mas como a avenida principal não tem bocas de lobo, há três anos, a água vinda de lá carregou todos os blocos do conjunto 35, deixando os moradores com uma tremenda "dor de cabeça". Na tentativa de conter o problema, terra e entulho foram colocados no local, iniciativa da própria comunidade.

A enxurrada é tão forte que a rua é conhecida como a "Ilha da Pororoca". Com a chegada da chuva, a preocupação entre a comunidade e, principalmente, entre as pessoas que moram no conjunto aumenta. Segundo relatos, a água chega a atingir até 1 metro de altura, levando tudo que encontra pela frente e invadindo as casas.

Eles disseram que já fizeram várias solicitações à administração da cidade para refazer o calçamento. Mas até hoje nada foi feito. Segundo os moradores, se propuseram até mesmo asfaltar a rua por conta própria. Mas o antigo administrador da cidade não permitiu que os moradores fizessem o trabalho.

Além do asfalto, eles também reivindicam a colocação de bocas de lobo na via. Para a comunidade, o problema só será solucionado quando for feito o sistema de drenagem de água pluvial para conter o fluxo que escoa da via principal.

"Estávamos dispostos a asfaltar por nossa conta. Não deixaram porque é uma vergonha para eles", disse o morador Sebastião Antônio Diogo, 56 anos. Para a água da enxurrada não invadir sua casa, ele mandou fazer uma pequena barreira de contenção na calçada. Outra medida tomada foi pagar para uma pessoa colocar entulho na rua, aterrando os buracos. Mesmo assim, as medidas só amenizaram o problema. Além da dificuldade de se locomover a pé, em épocas de chuvas, as pessoas que têm carro ficam impossibilitadas de tirar os veículos da garagem.



Pais de alunos que estudam do outro lado da rua também têm motivos para se preocupar. Do outro lado do conjunto tem uma escola. Os alunos que tem apenas aquele caminho para passar ficam ilhados, impossibilitados de fazer a travessia.

O aposentado José Antônio Jesus de Souza, 61 anos, tem uma Kombi. Ele disse que já perdeu as contas de quantas vezes encheu o veículo de crianças para levá-las até a escola. "Vou buscar uma criança na escola, e volto com o carro cheio. É perigoso, principalmente para as crianças que correm o risco de serem levadas pela enxurrada", advertiu.

Mas o administrador da cidade, Leonardo Moraes, disse que o problema está perto do fim. Ele contou que um engenheiro da administração já fez a avaliação do local. Segundo Leonardo, de acordo com o estudo, não será possível recolocar os bloquetes de concreto. A única solução para o problema será a pavimentação asfáltica. Ele garantiu que a obra será realizada ainda este mês.


Fonte: Tribuna do Brasil de 21/10/08

E vem reajuste

O governo prepara um reajuste nas tarifas do transporte público do Distrito Federal para ser aplicado até fim deste ano. A Secretaria de Transporte confirmou nesta terça-feira (21/10) que o aumento deverá incidir apenas sobre as tarifas cobradas nos microônibus e metrô. Mas a alteração ainda depende de um decreto do governador José Roberto Arruda, que aguarda um levantamento da Transporte Urbano (DFTrans) apontando os gastos mensais das empresas. O estudo irá indicar se realmente há déficit no orçamento, conforme manifestado pelos empresários do setor como o motivo para o pedido do aumento.

Caso o reajuste seja autorizado pelo governo, o preço das passagens dos microônibus deverá subir de R$ 1 para R$ 1,50. O aumento é defendido pelo secretário de transporte, Alberto Fraga. Para ele, as oito cooperativas vencedoras do processo de licitação dos microônibus não conseguem pagar as despesas com o preço atual. “Essas cooperativas estão trabalhando no vermelho. O correto seria ter colocado os microônibus já na tarifa de R$ 1,50. Mas essa decisão será tomada pelo governador”, diz. A Secretaria de Transporte ainda espera colocar nas ruas até o fim do ano outros 100 microônibus. A expectativa é que eles já operem com a tarifa reajustada. Com o última remessa o governo completa a frota de 450 microônibus nas ruas do DF.

Sobre o aumento nas tarifas do metrô, a Secretaria de Transporte adiantou que o reajuste deverá ocorrer até o início de novembro. A justificativa é que o sistema funciona atualmente com as tarifas promocionais, e passaria de R$ 2 para R$ 3. “O metrô também opera com dificuldades. O prejuízo chega a R$ 14 milhões por mês”, explica o secretário Fraga, que é taxativo nos acordos firmados. "Esses aumentos deverão atingir apenas metrô e microônibus. A tarifa dos coletivos normais não sofrerá qualquer reajuste", garente.

A reportagem tenta contato com as cooperativas que operam os microônibus para obter informações sobre o pedido de reajuste.


Fonte: Correio Braziliense

Vídeo: hospital sem médicos

Veja o vídeo que relata a última fiscalização realizada no Hospital Regional de Ceilândia.

O HRC está com falta de médicos - como se fosse uma notícia que os ceilandenses não soubessem...

CorreioWeb / Tv Brasília

Fonte: Jornal Local de 20/10/08

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Imagem: Feira do Rolo



Querendo ou não, a Feira do Rolo de Ceilândia é uma das feiras mais tradicionais da cidade. O governo tenta acabar com as vendas, mas nunca consegue.

A feira teve o seu início no centro de Ceilândia (Praça do Encontro), depois seguiu para Ceilândia Norte (Praça dos Eucaliptos) e foi para Ceilândia Sul (QNM 15). Hoje em dia, o "rolo" acontece ao lado da Feira Permanente do Setor "O".

O GDF tenta acabar com a feira alegando que lá são vendidos produtos roubados ou sem notas fiscais. Mas há de convir que nem todos ali são bandidos; existem muitos trabalhadores/cidadãos e compradores idôneos.

Campeonato de futsal

As equipes de futsal feminino e masculino de Brasília e Entorno estão convidadas a participar do I Campeonato de Futsal Zequinha/Fluminense de Ceilândia, que será realizado a partir do dia 26 de outubro.

No dia 26 haverá um Torneio Início para dar o apito inicial ao campeonato, onde a presença das equipes é facultativa.

Inscrições
Até dia 23/10/08
Feminino: R$ 150,00 + 1Kg de alimento por atleta
Masculino: R$200,00 + 1Kg de alimento por atleta
* Ambas as categorias Sub 15 (nascidas em 93) e Adulta.

Premiação
- Categoria adulta - 1º ao 3º lugar com troféus e medalhas mais R$500,00 em dinheiro.
- Categoria Sub 15 - 1º ao 3º lugar com troféus e medalhas mais R$300,00 em dinheiro.
- Artilheira e goleira menos vazada.
* A premiação em dinheiro dependerá da quantidade máxima de inscritos.

As incrições serão realizadas na mesma data do Congresso Técnico, dia 23/10. Os jogos serão realizados aos sábados e domingos podendo haver alterações.

Patrocínio
CTZ Zequinha, Roza Motos, Ta Motos, Mercadinho Ceará

Apoio
Administração Regional de Ceilândia, Portal do Futebol Feminino e Associação Brasiliense de Futebol Feminino (ABFF).

Maiores informações: (61) 3202.6850 (depois das 18:00 horas) e 9273.6688 ou e-mail: doremixfestas@hotmail.com falar com Cristiane.


Fonte: Portal do Futebol Feminino

A realidade dói...

O Conselho Regional de Medicina do DF (CRM-DF) realizou na manhã desta segunda-feira (20/10) uma vistoria no Hospital Regional de Ceilândia (HRC) para averiguar denúncias de falta de médicos e demora no atendimento.

A visita confirmou as suspeitas: por volta das 10h30, hora em que a equipe de fiscalização esteve presente no local, 78 pacientes internados eram atendidos por apenas dois médicos e 63 pessoas aguardavam atendimento. Segundo a assessoria do CRM-DF, seriam necessários mais 12 médicos e 10 auxiliares de enfermagem no centro cirúrgico para normalizar a situação no hospital. A equipe ficou impressionada com a falta até mesmo de utensílios baratos, como agulhas e luvas para anestesia.

Simone Santos Pereira, moradora do Setor P Sul, chegou às 6h e não havia sido atendida às 10h. “Vim cedo porque sabia que era assim; é horrível, mas vou ficar porque preciso de tratamento e de um atestado para apresentar no trabalho”, afirmou a garçonete de 21 anos.

Em nota, a direção do hospital reconheceu que há déficit de pessoal, mas informou que Ceilândia será contemplada com alguns dos 1400 novos profissionais de saúde que vão tomar posse no dia 6 de novembro.

A Secretaria de Saúde será agora notificada pelo Conselho Regional de Medicina do DF.



A diretoria do hospital não deixou a reportagem da Band acompanhar a vistoria ao HRC.

Fonte: Correio Braziliense, Jornal Coletivo, Band Cidade, Jornal Local e Rede Record

Formato do Candangão 2009

Depois de dois anos com o formato de pontos corridos, o Campeonato Brasiliense de Futebol voltará a ser decidido em uma final. Na primeira reunião do Conselho Arbitral, promovida pela federação local em parceria com os oito participantes da competição, nesta sexta-feira, foi votada a mudança da fórmula de disputa e ficou estabelecido que o Candangão começa no dia 18 de janeiro e termina em 3 de maio.

Representantes dos oito clubes estiveram presentes na reunião. A única ausência foi a do atual pentacampeão, Brasiliense. Durante o encontro ficou decidido que a 1ª Fase será disputada em turno e returno, com todos os times se enfrentando (ida e volta). Depois, os quatro melhores se classificam para um quadrangular final, novamente em partidas de ida e volta. Os dois clubes que somarem mais pontos nesta fase fazem a decisão, também em ida e volta.

O preço da arbitragem e demais taxas serão definidos em uma nova reunião marcada para a próxima sexta-feira, com a comissão de Arbitragem do Distrito Federal na sede da FBF, no Setor de Autarquias Sul.




Clubes Participantes do Candangão 2009:

Brasília (campeão da Segunda Divisão em 2008)
Brasiliense (atual campeão)
Brazlândia
Ceilândia
Dom Pedro II
Gama
Legião
Luziânia (GO) (vice-campeão da Segunda Divisão em 2008)

Fonte: Esporte Candango e UOL Esporte

Cuidados contra incêndios domésticos

Os estragos quase sempre são incalculáveis. No último mês o Corpo de Bombeiros registrou 162 incêndios no Distrito Federal. Na quinta-feira da semana passada uma loja de artigos para lojistas, na 506 Sul, pegou fogo. Por sorte ninguém saiu ferido.

No Guará II, 14 barracos foram destruídos por um incêndio que só foi controlado depois de uma hora. Ainda este mês, duas pessoas morreram num incêndio numa casa, também no Guará II.

Por dia o Corpo de Bombeiros atende, em média, nove chamadas de incêndios urbanos. As ocorrências em casa estão na liderança. Só este ano foram registradas 368. O principal causador é o vazamento de gás: 260 ocorrências foram registradas. Esquecimento de panelas no fogão vem em seguida, com 62 casos.

E os bombeiros alertam: é importante ter alguns cuidados em casa. “Às vezes as pessoas esquecem de limpar a válvula da panela de pressão. Ela é responsável pela saída do ar quente e se entupir pode explodir. Se explodir, nós podemos ter mais problemas na cozinha”, alerta o capitão Vieira, do Corpo de Bombeiros.

“Na sala pode haver outra situação comum: o uso de velas ou cigarros em locais onde existem materiais de fácil combustão, como, por exemplo, sofás e colchonetes. Nos quartos é preciso ter cuidado com os colchões. O ideal é colocar velas e cinzeiros em locais que não permitam a fácil combustão”, acrescenta o capitão.


Fonte: Rede Globo

domingo, 19 de outubro de 2008

Piauí é aqui!

Ceilândia mergulhará na cultura piauiense em atividades de comemoração ao aniversário do Estado, que neste ano completa 250 anos e 186 de adesão à Independência do Brasil. Com 21% da população do DF natural ou descendente do Piauí, o evento - que passa a denominar-se "Piauí é aqui, no coração do Brasil" - será incluído no calendário oficial de eventos do Distrito Federal.

A programação acontece no próximo dia 21, no Sesc Ceilândia, a partir das 19h, e inclui a apresentação de artistas populares, Mostra de Arte e Cultura Piauiense, Sessão Solene da Câmara Legislativa do Distrito Federal e a Cerimônia de Outorga da Medalha do Mérito Renascença, a maior comenda do Estado.

O Distrito Federal conta com quatro deputados distritais piauienses. São eles: Arílio Neto, presidente da Câmara e natural de Piripiri; Raimundo Ribeiro, de Piracuruca; Cristiano Araújo, de Corrente; e Milton Barbosa, de Canto do Buriti. Por proposição deste último, será realizada a sessão solene.

É de autoria dos quatro deputados o projeto de lei 1.020/2008 que inclui o evento no calendário oficial do Distrito Federal. A lei será sancionada pelo governador José Arruda durante as festividades no Sesc Ceilândia. Também confirmaram presença os ministros da Defesa, Nelson Jobim, e dos Direitos Humanos, Paulo Vannuchi, que serão agraciados com medalha, dentre outras autoridades.

Na ocasião, o governador do Piauí, Wellington Dias, vai receber o título de cidadão honorário de Brasília.




O Dia do Piauí no DF contará também com lançamento de livros de autores piauienses. São eles:

DaCruz Nery - obras Prato Bom Demais (2008) e O que toda empregada precisa saber para impressionar a sua patroa (Senac 2008)

Maria José Rocha Lima - Combatendo a intolerância com o Aleijadinho, relato de uma experiência de alfabetização

Maria de Jesus Evangelista (UnB) - Cassiano Nunes - Poesia e Ante Tributo ao Poeta

Cid de Castro Dias - Piauhy das Origens à Nova capital

Rosângela Sousa - Idéias, Ideais e Sentimentos

Ronaldo Mousinho - Literatura: de Homero à Contemporaneidade e Geografia Poética do DF.


Fonte: BrasilPortais

sábado, 18 de outubro de 2008

Sem auxílio

Os moradores da região próxima a DF-180 fizeram uma manifestação neste sábado. A rodovia ficou interditada por mais ou menos 1 hora; o trânsito voltou ao normal logo após a chegada da polícia.

A via é perigosa e muitos acidentes já aconteceram e ainda acontecem - um jovem relatou que escapou da morte por um triz, já o amigo não teve tamanha sorte - o trânsito de caminhões é bem pesado na localidade. O pedido da população, solicitado até através de um abaixo-assinado, é que a via seja duplicada e melhor sinalizada.


Segundo o Departamente de Estradas e Rodagem - DER - não há previsão de duplicação da pista. Enquanto isto, outros atropelamentos e mortes deverão acontecer e farão parte do cotidiano dos moradores da área...


Veja mais clicando no link do 100% Ceilândia.

Fonte: Rede Record de 18/10/08

Condenado

Welerson Souza Lima, 31 anos, terá de cumprir vinte e dois anos e dois meses atrás das grades. Ele foi condenado por atropelar intencionalmente e matar a dona-de-casa Sônia de Souza Faustino, 56 anos. Welerson respondia pelos crimes de tentativa de homicídio e homicídio qualificado nesta sexta (17/10), no Tribunal do Júri de Ceilândia. A família de Sônia ficou satisfeita com o resultado. “Consideramos a pena justa. O sentimento que temos é de que a justiça foi feita”, afirmou o filho da vítima, Fábio Weslley Faustino, 37 anos.

Pelo crime de homicídio, Welerson pegou 18 anos de prisão. Já pela tentativa, foram três anos e dois meses. Por fim, ele teve mais um ano de encarceramento incluso na sentença pela qualificadora de não ter dado chance de defesa à vitima. A sentença foi proferida às 20h40.

Welerson matou Sônia em 24 de novembro do ano passado. Na ocasião, foi até a casa da vítima, na QNN 17 da Ceilândia, cobrar uma conta de água no valor de R$ 1,2 mil do filho dele, Pedro Faustino, de 36 anos, que havia morado de aluguel na casa da mãe do condenado. Após a dona-de-casa afirmar que não tinha dinheiro, Welerson a teria agredido verbalmente. Nisso, Pedro saiu de casa e o condenado entrou no carro. Depois que passou o quebra-molas, a 30 metros de onde estavam Pedro e Sônia, Welerson engatou a marcha a ré, atingiu Sônia e quase acertou Pedro.

No julgamento, Welerson tentou se defender com a argumentação de que tinha sido perseguido pelo filho da vítima, que o ameaçava com uma faca. Ele afirmou que, pelo fato de a rua estar movimentada, precisou dar marcha a ré. Ontem foi a segunda vez que Welerson enfrentou o Tribunal do Júri pela morte de Sônia. A primeira havia ocorrido em 15 de setembro, quando a sessão precisou ser cancelada devido a problemas técnicos no aparelho que grava as falas das testemunhas.

No dia seguinte à morte de Sônia, foi exibido no 40º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro o curta-metragem Dia de visita, melhor curta pelo prêmio da Câmara Legislativa do DF. No roteiro, o relato dos 15 anos em que Sônia desenvolveu um projeto de evangelização dos prisioneiros da Papuda.


Fonte: Correio Braziliense

Último dia de inscrição

Termina amanhã (19/10/08) o prazo para quem quer se inscrever no Festival de Cinema e Cultura Cine Periferia Criativa, que será realizado de 7 a 9 de novembro no Teatro Sesc Newton Rossi, em Ceilândia. O evento, promovido pela Central Única das Favelas, é uma forma encontrada pelas periferias para expressar sua visão da realidade do ponto de vista marginal. Mais informações no site: Cufa-DF.

Fonte: ComuniWeb

O fim das sacolas

Quem vai às compras quase sempre conta com a velha e conhecida sacola de plástico para levar os produtos para casa. Mas este tipo de embalagem está com os dias contados. Uma lei publicada esta semana proíbe que elas sejam usadas para transportar alimentos, produtos e mercadorias. Os supermercados, por exemplo, vão ter que informar o motivo: sacolas plásticas convencionais levam mais de 100 anos para se decompor no meio ambiente.

“Eu compro muito, para restaurante, e não tenho onde guardar. Acaba que vai tudo para o lixo”, confessa um comerciante.

Os estabelecimentos comerciais e industriais vão ter três anos para substituir as sacolas de plástico por outras, biodegradáveis, ou que possam ser reutilizadas. Os que se adequarem às novas regras antes de concluído o prazo estipulado vão ter incentivo fiscal: isenção do ICMS na compra ou na produção e na venda de embalagens por cinco anos.

O Pão de Açúcar já orienta os clientes. Produz dois tipos de sacolas recicláveis. De longe elas parecem frágeis, mas suportam até 15 kg. Mesmo assim, alguns consumidores ainda ficam resistentes. “Acredito que não vai dar certo. A sacolinha de plástico que nós usamos hoje vai fazer muita falta. Como é que a gente vai levar os alimentos do supermercado? Na mão?”, questiona um consumidor.

Muitos já se acostumaram e até levam a sacola de casa. “Eu acho muito prático e já tenho várias bolsas para fazer compras”, afirma uma senhora.

Para conscientizar a população o governo vai fazer uma campanha: “Quando a gente mostrar a importância de preservar o meio ambiente, mostrar o mal que esse tipo de plástico causa à natureza, não tenho a menor dúvida de que a população vai entender”, diz o secretário de Comunicação, Wellington Moraes.

Não deve ser difícil sensibilizar as pessoas. Uma consumidora que ia saindo do mercado com a sacolinha plástica soube da proposta e voltou. “Pronto! Já estou fazendo a minha parte. Na verdade, comecei a fazer agora”.

Quem descumprir a lei terá que pagar multa de R$ 500 por dia. A lei também determina que os órgãos do GDF substituam os sacos de lixo por material reciclado, em até três anos.




Veja um vídeo: CorreioWeb / Tv Brasília

Fonte: Rede Globo, Correio Braziliense e Jornal Local de 18/10/08

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Imagem: oficina de quadrinhos



Oficina de quadrinhos em Ceilândia Norte, ocorrida possivelmente no Centro Cultural.

Fonte: O Universo de Márcio Leite

Quadrilha no xilindró

Onze pessoas foram presas nesta sexta-feira (17/10) por clonagem de cartões em postos de combustível. A Operação Americana, da Polícia Civil do Distrito Federal, começou às 6h e ainda deve cumprir outros nove mandatos de prisão. Entre os onze detidos, estão três frentistas de posto. Segundo informações da polícia, a quadrilha clonava cartões em postos de vários pontos do DF. Depois, faziam compras pela internet e revendiam os produtos.

Os acusados pagavam R$ 40 para os frentistas a cada cartão que eles conseguiam clonar pela máquina conhecida como chupa-cabra ou por uma máquina que imprimia uma terceira via das informações do cartão e onde os funcionários dos postos anotavam o código de segurança do cartão.

Todos os suspeitos foram presos em flagrante e serão levados esta noite para a Delegacia de Polícia Especializada. Com os onze detidos, a polícia também apreendeu televisores de tela de plasma, computadores, tênis importados, aparelhos de celular, DVDs e monitores de computadores.

Cerca de 70 policiais participaram da operação e dez equipes da Divisão de Operações Especiais da Polícia Civil. Segundo a polícia, os donos dos postos não estavam envolvidos com a quadrilha e desconheciam o golpe aplicado. Os acusados agiam em postos da Asa Norte, Sudoeste, Guará e outros pontos do DF.

As onze pessoas detidas nesta sexta foram Alysson Lima Rocha Soares, 30, Eduardo Martinez Oliveira Chaparral, 26, Daniela Lima Figueiroa, 28, Wesley Cunha Cavalcanti, 30, Gerardo Monteiro da Silva Jr, 24, Paulo Anderson Gonçalves Ferreira, 26, Neuzir Melo de Souza Jr., 24, Flávio de Carvalho Maia, 29, Roberson Gomes de Albuquerque, 19, João Marcos Ferreira da Silva, 26, e Jonh Wesley dos Santos Magalhães, 20.


Veja os vídeos: ClicaTV e CorreioWeb / Tv Brasília

Fonte: Correio Braziliense, ClicaBrasília, Jornal Coletivo, Jornal Local, Band Cidade e Rede Globo de 17/10/08

Horário de verão 2008/2009

Os relógios devem ser adiantados em uma hora, nos estados do Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

A novidade, desta vez, é que o governo determinou que a vigência do horário deve começar sempre no terceiro domingo de outubro e terminar no terceiro domingo de fevereiro, que em 2009 vai ser no dia 15.

Só para lembrar: o principal objetivo do horário de verão é reduzir o consumo de energia elétrica no fim da tarde, o chamado horário de pico. No Distrito Federal, de acordo com a CEB, este consumo cai em média 4%, no período em que os relógios estão adiantados.


Veja um vídeo: ClicaBrasília

Fonte: Rede Globo

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Julgamento

Julgamento de Welerson Souza acusado de atropelar e assassinar a dona-de-casa Sônia de Souza Faustino será realizado nesta sexta-feira (17/10/08).

Sônia, 56 anos, trabalhava como voluntária no Presídio da Papuda e foi protagonista do curta-metragem Dia de Visita, do cineasta André Luiz da Cunha.

A acusação feita pelos promotores Alexandre Sales e Daniel Bernoulli. O Julgamento está marcado para às 8 horas no Tribunal do Júri de Ceilândia.

O acidente ocorreu um dia antes da estréia de Sônia no cinema. Durante a apresentação do filme no 40º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

Segundo a denúncia do Ministério Público, O réu também tentou atropelar o filho de Sônia, Pedro Lopes Faustino Filho. O crime aconteceu no dia 24 de novembro de 2007, por volta das 15h30, em Ceilândia.

De acordo as informações do Ministério Público, Welerson foi à casa de Pedro cobrar uma dívida, e Sônia atendeu dizendo que o filho ainda não tinha condições de pagá-lo. O acusado começou a discutir e ofendeu Sônia, quando Pedro saiu da casa. Welerson, que estava em companhia da mãe, Leni da Consolação, entrou no carro e fingiu que ia embora, mas voltou de marcha ré em direção a Pedro e Sônia, que estavam na calçada. Pedro conseguiu desviar do veículo, mas a mãe foi atingida e caiu no chão. Welerson afastou-se e voltou de marcha ré, passando por cima de Sônia.

Ainda de acordo com a denúncia, o crime foi praticado com uso de recurso que dificultou a defesa das vítimas (o carro) e por motivo torpe (a dívida). Leni da Consolação foi denunciada pelo MPDFT como participante no crime, mas foi impronunciada pelo Tribunal do Júri. Welerson foi acusado de homicídio e de tentativa de homicídio. As penas variam de 12 a 30 anos.


Fonte: Correio Braziliense

Mais CAPS

Abaixo-assinados estão sendo elaborados em Ceilândia, para pedir ao governador Arruda a inauguração de um Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS) na cidade. De acordo com o Ministério da Saúde, cidades com 200 mil habitantes devem ter, pelo menos, três centros de atendimentos desse tipo, para tratamento, principalmente, de pessoas com problemas de saúde mental. Ceilândia tem 500 mil moradores e nenhum CAPS.

Um centro foi construído na EQN 24/28 (???), mas nunca foi usado. A decisão de pressionar o governo por meio da coleta de assinaturas surgiu durante a audiência pública para discutir o problema, promovida ontem (14/10/08) em Ceilândia, pela deputada distrital Érika Kokay.


Fonte: Jornal de Brasília de 15/10/08

Auditório não foi construído

Já faz 10 anos que foi prometido um auditório para o Centro de Ensino Médio 10 do Setor P Sul e ele nunca saiu do papel, os alunos e a comunidade precisam desse espaço para apresentações culturais, teatrais, exibição de filme.

Dinheiro para ele não falta, em abril deste ano após uma visita de 150 alunos, de mais de 50 pais de alunos, professores e Ong Interagir os deputados distritais aprovaram emenda de 540 mil para esta obra, na oportunidade foram entregue um abaixo-assinado dos moradores do local, uma carta aberta subscrita pelos comerciantes reivindicando o espaço, além de uma carta de apoio da ACIC-DF ao projeto.

Governador! Estamos à espera da obra.



Fernando Freitas

Fonte: ACIC-DF

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Bicicletas no metrô

Passageiros do sistema metroviário do Distrito Federal terão de dividir espaço com bicicletas durante a viagem diária até a escola ou o trabalho. Lei aprovada pela Câmara Legislativa permitirá o transporte dos veículos de duas rodas não motorizados a partir de dezembro deste ano, apesar da polêmica provocada pelo assunto. Tanto usuários dos trens quanto o Governo do Distrito Federal (GDF) denunciam a atual superlotação do Metrô-DF e a incapacidade para esse tipo de transporte nos vagões.

A nova legislação, promulgada pela Câmara em 6 de outubro, após os deputados derrubarem o veto do governador José Roberto Arruda, vale para o metrô e os futuros veículos leves sobre trilhos (VLT) e sobre pneus (VLP) — os dois últimos fazem parte do projeto Brasília Integrada. A proposta é de autoria dos distritais Paulo Tadeu (PT) e Rôney Nemer (PMDB), este atualmente chefe da Agência de Fiscalização do GDF. No texto da Lei nº 4.216, indicaram o “incentivo ao uso de bicicletas para o transporte e como contribuição ao desenvolvimento sustentável da mobilidade” (leia O que diz a lei).

A norma limita cinco bicicletas por viagem. Além de estabelecer os deveres dos ciclistas, como a obrigatoriedade de mantê-las sempre próximas ao corpo, exige que as empresas responsáveis pelo transporte se adaptem às mudanças em 60 dias. Entre elas, a reserva do último vagão para os ciclistas e a colocação de placas para facilitar o acesso às estações. Um grupo de técnicos de operação estuda as novas regras para adaptá-las ao sistema.




Apesar de reconhecer as dificuldades dos passageiros do Metrô-DF, Nemer acredita que o fim da proibição terá reflexos no trânsito brasiliense. “O que nós queremos é tomar atitudes que venham a diminuir o número de carros nas vias de Brasília. Um ciclista de Samambaia poderá pegar o metrô e, por exemplo, pedalar no Parque da Cidade. Confiamos também na promessa do governo de comprar mais trens.”

Quem tem o hábito de pedalar comemorou a aprovação da Lei Distrital nº 4.216/08. O leiturista de energia elétrica Rui José da Silva Araújo, 39 anos, passará a levar a bicicleta no trem. O morador do Guará deixa todos os dias o veículo em frente à Estação Feira do Guará. A “magrela” fica acorrentada a uma árvore ou à grade de proteção do local, enquanto o ciclista segue para o trabalho no Plano Piloto. “Se puder, vou levar comigo. É mais seguro”, disse.



O QUE DIZ A LEI

A Câmara Legislativa promulgou a Lei nº 4.216 em 6 de outubro deste ano, após derrubar o veto do governador José Roberto Arruda à proposta. Veja o que determina a nova regra:

# A lei autoriza o transporte de bicicletas e similares dos veículos leves sobre trilhos — metrô e veículos leves sobre pneus — “como incentivo ao uso de bicicletas para o transporte e como contribuição ao desenvolvimento sustentável da mobilidade”

# Poderão ser transportadas até cinco bicicletas por trem, sempre no último vagão

# Os ciclistas deverão manter as bicicletas próximas ao corpo para evitar transtornos aos demais passageiros

# As empresas concessionárias terão 60 dias para se adaptar à nova legislação. Deverão, inclusive, afixar placas que facilitem o acesso dos ciclistas às estações e aos vagões
Secretário reclama

A autorização para o transporte de bicicletas no metrô provocou indignação na Secretaria de Transportes do Distrito Federal, órgão que ficará responsável pela fiscalização da lei. “Acho isso um absurdo. É uma iniciativa que não vem somar em nada. Já temos muita dificuldade com o transporte de passageiros, imagina com o de bicicleta”, queixou-se o secretário de Transportes do DF, Alberto Fraga. Para ele, o sistema metroviário brasiliense ainda não tem capacidade para o serviço. “Nada contra as bicicletas, mas não é o momento de se discutir o assunto”, resumiu.

Segundo Fraga, uma bicicleta ocupa o espaço de cinco a oito passageiros. Assim, para o secretário, o transporte de veículos de duas rodas não motorizados só seria possível se mais trens fossem comprados pelo GDF. Há hoje 19 (com 76 vagões) em circulação. E mais 10 (com 40 vagões) devem ser adquiridos até o próximo ano. O edital para a licitação tem previsão para ser publicado em novembro. Metrôs de capitais européias como Paris, na França, e Berlim, na Alemanha, liberam o transporte de bicicletas.

Ciclistas que apóiam a legislação temem a polêmica. O auxiliar de gráfica Gadelha Júnior, 33 anos, está disposto a enfrentar possíveis hostilidades de passageiros. “Sei que os vagões vão muito cheios, mas será ótimo para mim. Moro no Guará e trabalho no Senado Federal. Será excelente pedalar da Rodoviária até o fim da Esplanada”, contou. Gadelha deixa todos os dias a bicicleta da filha acorrentada, mas já foi levada por assaltantes.




A Rede Record chegou a fazer um teste com um usuário que levava consigo uma bicicleta para utilizá-la no metrô. O resultado foi que ele não conseguiu descer no destino certo(muita gente) e todos foram mais que espremidos (resolveram fazer o teste no horário de pico).

A intenção da lei é boa, mas sem uma boa quantidade de vagões e com a falta de fiscalização fica um pouco difícil de funcionar direito.


Veja um vídeo: CorreioWeb / Tv Brasília

Fonte: Brasília em Tempo Real e Jornal Local de 14/10/08 e Rede Record de 15/10/08

Receitas médicas digitalizadas

A dificuldade da população e de funcionários de farmácias para entender o que indica uma receita médica está com os dias contados. As receitas escritas à mão têm prazo para acabar. É o que determina uma lei sancionada pelo governador José Roberto Arruda.
Profissionais da área de saúde têm até o prazo de 90 dias para informatizar o sistema de receituário, o que vai facilitar a leitura da receita.

Em uma drogaria que fica dentro do Taguatinga Shopping, as dúvidas sobre o que está escrito na receita são muitas, os farmacêuticos ligam para o médico através do telefone que vem na receita e ainda assim algumas vezes não conseguem descobrir o que foi prescrito e o paciente é obrigado a voltar ao consultório. "Todos os dias clientes saem da loja reclamando. Existem médicos que não têm a noção da forma que escrevem e acham que somos obrigados a decifrar a letra deles, o que na maioria das vezes pode confundir os vendedores, pois existem medicamentos com nomes muito semelhantes. E isso é muito perigoso pois pode causar riscos à saúde", afirmou Marcel Couto, funcionário da drogaria.

De acordo com a Secretaria de Saúde, o prazo estabelecido pela lei é curto para a instalação do sistema eletrônico. "Acreditamos que vamos ultrapassar os 90 dias, até porque vamos ter de implantar o sistema de informatização em todos os setores, inclusive o do prontuário eletrônico", afirmou o assessor da Subsecretaria de Atenção à Saúde, Lúcio Pereira. Ele ressaltou ainda que já existe um projeto de informatização da rede pública, que engloba também o arquivamento de todo o histórico do paciente.


Fonte: Tribuna do Brasil

Estude no CEP-Ceilândia

As inscrições para os processos classificatórios das Escolas Técnicas de Planaltina e Ceilândia terão início nos próximos dias 20 e 21 de outubro, respectivamente.

Em Planaltina serão oferecidos três cursos: o de Enfermagem e Técnico em Nutrição e Dietética, com 80 vagas disponibilizadas para cada um deles no turno matutino, e o mesmo número de vagas para o curso de Técnico em Higiene Dental, no turno vespertino. Já em Ceilândia, os alunos poderão disputar as 220 vagas do curso de Técnico em Informática e 180 do curso de Técnico em Administração. Os dois cursos serão oferecidos nos turnos da manhã, tarde e noite.

Para se inscrever, é necessário que o candidato tenha idade mínima de 15 anos, esteja cursando ou já tenha concluído o ensino médio ou o terceiro seguimento do EJA (Educação de Jovens e Adultos) e compareça à escola portando um documento de identificação com foto.

A prova será aplicada no dia 23 de novembro pela manhã em Ceilândia e em Planaltina ocorrerá no dia 9 de novembro, a partir das 9h da manhã.



O CEP-Ceilândia fica na Guariroba ao lado do Centrão (CEM 04), próximo ao estádio Abadião e à estação Guariroba do Metrô-DF.

Fonte: ClicaBrasília e Brasília em Tempo Real

Aumento na conta d'água

O vídeo a seguir relata o aumento nas contas de água que famílias de Ceilândia recebem após fazerem melhorias físicas em suas residências. Veja:

CorreioWeb / Tv Brasília

Fonte: Jornal Local de 15/10/08

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Cavalos em via


Quem freqüenta a Quadra QNR 01, na Ceilândia percebe a quantidade de cavalos e carroceiros que há no lugar. Alguns dos animais não ficam presos e por estarem soltos acabam atrapalhando o trânsito do local. Para os moradores isso é um incômodo, por outro lado os carroceiros alegam que não tem lugar para prender os cavalos. A situação gera tumulto nas ruas da quadra.

Para a dona-de-casa Maricela de Jesus, 26 anos, os carroceiros atrapalham muito a segurança do trânsito. "Uma vez fui atropelada, ele perdeu o controle do cavalo e me derrubou da bicicleta. Estava com a minha filha de 5 anos na garupa," contou.

De modo geral, a comunidade da QNR 01 é extremamente contra os animais que ficam soltos na rua. O pedreiro José Raimundo Neto, 63 anos, disse que é um absurdo os carroceiros transitarem nas ruas como se fossem veículos motorizados. "Deveria haver uma lei que proíba os carroceiros de trafegar pelas mesmas vias que os carros passam, justamente para evitar acidentes", afirmou. O pedreiro contou ainda que o trânsito fica mais perigoso quando tem animais soltos nas ruas.

Por outro lado alguns dos carroceiros estão licenciados a executarem o trabalho e contam que o grande problema para eles atualmente é a falta de lugar para guardar os animais. Segundo o carroceiro Carlos André de Oliveira da Silva, 22 anos, é uma dificuldade arrumar um lugar para o animal descansar, ou, passar a noite. "Eu não tenho onde colocar meu cavalo. O governo prometeu ceder baias para deixarmos os animais, mas até hoje isso não foi feito," contou o jovem.



MAIS:

Será construído currais coletivos para os cavalos da cidade de Ceilândia. Mas conforme a gerente de Ação Social, segurança e saúde da área, Silvana Maria de Carvalho, ainda não há previsão para quando serão inaugurados os ambientes para os animais. "Não houve a licitação, por isso não há previsão para abertura dos currais com baias", explicou. Mas Silvana garantiu que realmente haverá currais para os carroceiros registrados e eles terão direito de guardar não só os cavalos como também as carroças. O governo ainda não decidiu o local da construção das baias.

Segundo o administrador regional da Ceilândia, Leonardo Moraes, essa construção tem que ser em um lugar estrategicamente correto. "Uma obra como essa pode causar impactos ecológicos, pois os animais defecam no local e pode gerar moscas e causar doenças. Por isso a construção dos currais comunitários deve ser bem planejada e com estudo prévio da localização", explicou o administrador.



Atualmente, de acordo com a Administração Regional de Ceilândia, há em torno de 830 cavalos na cidade, 446 carroceiros, sendo que destes apenas 313 estão emplacados. Para o carroceiro licenciado, Joaquim Cabral de Almeida, 61 anos é ótimo estar regularizado para poder conduzir sua carroça. "Eu acho muito melhor trabalhar dentro da lei do que ficar correndo risco da fiscalização levar o meu animal e a minha carroça", afirmou.

É importante os carroceiros estarem legalizados e com a documentação, pois de acordo com a Administração Regional a partir dos próximos meses haverá fiscalização do Detran DF na Ceilândia.

Os carroceiros que ainda não emplacaram suas carroças terão outra oportunidade. No início de novembro, a Administração Regional irá cadastrar os outros carroceiros. Para isso, eles deverão se dirigir até o local com os documentos pessoais para a efetivação do cadastro e confecção das placas.


Fonte: Tribuna do Brasil

Indenização

A decisão é unânime e não cabe mais recurso: o motorista estressado vai ter que indenizar por danos morais e materiais a condutora por ele agredida verbalmente no semáforo que liga Samambaia a Taguatinga Norte. A sentença dada pelo 1º Juizado Especial Cível de Ceilândia foi confirmada pela 2ª Turma Recursal do TJDFT. O valor da indenização é de R$ 3.070,00, R$ 2.500,00 por danos morais e R$ 570,00 por danos materiais.

O fato ocorreu em março de 2007. A requerente conta que por volta das 12h30 parou seu veículo no semáforo, quando foi surpreendida por gritos e xingamentos do motorista que estava atrás do carro dela. Afirma que em determinado momento, o réu desceu do outro automóvel, foi até o veículo da requerente, introduziu a cabeça pela janela lateral e, aos berros, continuou a lhe insultar.

Sem saber o que detonara tamanha ira, a mulher assustada deixou o carro morrer, atrapalhando temporariamente o tráfego. Ao perguntar o que tinha feito, obteve do réu a resposta de que teria deixado seu veículo descer e encostar no dele. Não satisfeito com os impropérios desferidos, o réu voltou ao seu veículo e acelerou empurrando o carro da motorista várias vezes, o amassando.

Em audiência de instrução e julgamento, o réu contestou a versão da autora e alegou que ao sair do carro queria apenas saber se a mulher estava passando mal, já que ela deixara o carro descer e colidir no dele. Que a requerente é quem teria lhe xingado imotivadamente e as agressões verbais passaram a ser recíprocas a partir daí.

A autora apresentou testemunha compromissada que confirmou o desenrolar dos fatos por ela descritos. A testemunha do réu não prestou compromisso por se tratar de parente. A perícia concluiu que a avaria causada no carro da requerente é compatível com a versão por ela apresentada.

Do ponto de vista da indenização por danos morais, o juiz explicou na sentença: “os fatos apontam no sentido de que o réu deu causa à ocorrência. O fato do semáforo estar em rua com declive, argumento apresentado pelo motorista, e que isso poderia em tese ter ocasionado a leve colisão entre os veículos, não justifica a maneira de agir do réu. Infere-se do quadro desenhado que a requerente teve, sim, o direito da personalidade relativo à honra lesionado.” De acordo com o magistrado, a honra pode ser tomada como a boa reputação construída ao longo de toda uma vida e, nesse caso, maculada pela conduta do réu.

Inconformado, o motorista interpôs recurso pleiteando a reforma da sentença, mas teve o pedido negado pela 2ª Turma Recursal.


Fonte: Clica Brasília